1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Sociólogo Wolf Lepenies recebe Prêmio da Paz de 2006

Escritor é homenageado com uma das mais prestigiosas distinções do meio literário alemão, concedida no encerramento da Feira do Livro de Frankfurt.

default

Lepenies incentivou o fortalecimento das relações entre a Europa Ocidental e Oriental

O sociólogo Wolf Lepenies, 65 anos, não é apenas um dos mais conhecidos e importantes intelectuais da Alemanha. Lepenies, que neste domingo (08/10) foi honrado com o Prêmio da Paz da Associação do Comércio Livreiro Alemão, é visto no país como um intelectual capaz de transitar entre dois universos aparentemente tão distintos quanto a ciência e a política – uma qualidade rara, e não só na Alemanha.

"Eu sempre agi muito próximo da política", afirmou o escritor, que se define como um "político científico". A Associação do Comércio Livreiro Alemão justificou sua escolha destacando a união entre atividade intelectual e engajamento social de Lepenies.

O sociólogo recebeu o prêmio, dotado de 25 mil euros e um dos mais prestigiosos do país, no dia do encerramento da Feira do Livro de Frankfurt, como é tradição.

O ex-ministro romeno do Exterior e filósofo Andrei Plescu, afirmou no discurso em honra ao homenageado: "A paz que Lepenies torna possível não é a paz de um orador angelical, e sim a paz de um perito bem informado e pragmático".

Leste Europeu

De 1986 até 2001, Lepenies foi reitor do Wissenschaftskolleg zu Berlin (Instituto de Estudos Avançados de Berlim) e se dedicou principalmente a fortalecer o intercâmbio cultural entre a Alemanha e os países do Leste Europeu.

Para a Associação do Comércio Livreiro Alemão, durante o reitorado do sociólogo, o instituto era "provavelmente o local mais ativo e livre da Europa, um ponto de encontro da racionalidade ocidental com a sabedoria oriental, da arte com a ciência".

"Este não é o primeiro prêmio que eu recebo, mas com certeza o mais significativo e importante", afirmou Lepenies. Ele destacou a vinda anual de 40 cientistas e artistas de todo mundo ao instituto sediado na capital alemã, onde permanecem por nove meses se dedicando a projetos de seu interesse.

Esse intercâmbio e a participação na fundação de inúmeros centros científicos na Europa Oriental são a sua colaboração para a paz, disse o homenageado.

Cultura e política

Em seu mais recente livro, Kultur und Politik – Deutsche Geschichten (Cultura e Política – Histórias Alemãs), Lepenies se ocupa da relação entre cultura e poder na "nação tardia", como ele se refere à Alemanha, país que encontrou sua unidade política depois das outras nações européias. O alvo de suas críticas é a cultura alemã.

Ele critica o que chama de "arrogância com o poder" dos representantes da cultura, que preferem "não se envolver" com os "negócios profanos" da política. "A cultura deve exigir o impossível, deve incentivar a utopia, deve se abster dos compromissos; mas não deve pensar que, com isso, é melhor do que aqueles que trabalham no campo dos compromissos", escreve Lepenies.

Biografia e obras

Lepenies nasceu em 1941 em Deuthen, cidade da Prússia Oriental, e viveu sua juventude em Koblenz. Estudou Sociologia em Münster e, depois da conclusão do curso, em 1971, se tornou professor na Universidade Livre de Berlim.

Entre 1981 e 1983, esteve ligado ao Instituto de Estudos Avançados em Princeton, nos EUA. O instituto norte-americano serviu de modelo para o projeto de intercâmbio que Lepenies iniciou no Wissenschaftskolleg zu Berlin.

Entre os livros publicados pelo sociólogo estão Melancholie und Gesellschaft (Melancolia e Sociedade), Die Drei Kulturen – Soziologie zwischen Literatur und Wissenschaft ( As Três Culturas, editado em português no Brasil pela Edusp) e Aufstieg und Fall der Intellektuellen in Europa ( Ascensão e Queda dos Intelectuais na Europa, lançado em Portugal pela Edições 70).

Leia mais