1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Sobe número de detidos em operação antiterrorismo na Bélgica

Polícia detém cinco suspeitos de envolvimento com atividades terroristas nas regiões de Liège e Bruxelas. Número total de presos chega a 21. Busca por Salah Abdelsam continua.

default

Bruxelas está em alerta máximo desde sábado

A polícia belga prendeu nesta segunda-feira (23/11) cinco pessoas durante sete operações antiterrorismo nas regiões de Bruxelas e de Liège. Assim,

o número de pessoas detidas

desde a noite de domingo chegou a 21. Elas estão sendo interrogadas pelos investigadores.

"No âmbito da operação desencadeada ontem à noite, cinco operações complementares foram efetuadas esta manhã na região de Bruxelas e outras duas na de Liége. Cinco pessoas foram detidas", afirma o comunicado da procuradoria federal do país.

De acordo com promotores, a polícia encontrou 26 mil euros durante uma das buscas, e armas não foram apreendidas nas recentes operações.

O foragido Salah Abdeslam, suspeito de envolvimento nos ataques de Paris, não estaria entre os presos. Após os atentados de 13 de Novembro na capital francesa, ele teria sido levado para a Bélgica com a ajuda de dois amigos.

Alguns veículos de comunicação belgas divulgaram que Abdeslam poderia ter fugido para a Alemanha. O foragido teria sido visto em Liège e usado um BMW na fuga. Promotores disseram que um BMW realmente fugiu da polícia no domingo, na regiäao de Liège, mas foi depois identificado e que não existe conexão com as operações em andamento.

Alerta máximo

A capital belga está em

alerta máximo

desde a manhã de sábado. Soldados patrulham as ruas, que estão quase desertas. O primeiro-ministro Charles Michel declarou neste domingo que Bruxelas vai permanecer em alerta máximo (nível quatro) devido a um "risco sério e iminente" de ataques terroristas. Já o resto do país vai continuar no nível três.

"Nós ainda tememos que um ataque semelhante ao de Paris seja executado em Bruxelas e em outros lugares", disse Michel. Nesta segunda-feira, escolas e universidades da capital não abriram. O metrô, que está fechado desde sábado, permaneceu com a circulação interrompida. A maioria dos cinemas e muitas lojas também permaneceram fechadas.

CN/dpa/lusa/rtr

Leia mais