1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Snowden se oferece para ajudar Alemanha em investigações sobre espionagem

Ex-consultor da NSA se encontra com deputado alemão em Moscou e, em carta a Merkel e ao Bundestag, se diz disposto a cooperar. Ministro alemão do Interior afirma que depoimento poderia ser dado por escrito.

default

O deputado Hans-Christian Ströbele seencontrou com Edward Snowden num hotel de Moscou

O ex-consultor da Agência de Segurança Nacional (NSA) Edward Snowden se declarou disposto a colaborar com a Alemanha nas investigações sobre a espionagem americana, que teria incluído até o monitoramento do telefone celular da chanceler federal Angela Merkel.

Snowden se encontrou na quinta-feira (31/10) num hotel de Moscou com dois jornalistas e o deputado verde alemão Hans-Christian Ströbele, uma das vozes mais críticas ao programa de espionagem. A eles, disse que falaria com o Ministério Público ou com uma comissão parlamentar caso conseguisse deixar a Rússia, onde está refugiado desde junho.

"Eu espero falar com vocês, no seu país, quando a situação estiver resolvida. E obrigado por defender as leis internacionais, que protegem todos nós", disse Snowden em carta endereçada a Merkel, ao Parlamento e a promotores alemães.

Segundo Ströbele, a quem o ex-técnico da CIA entregou a carta, "Snowden está saudável e com bom aspecto" e "deixou claro que sabe muito". No entanto, o ex-técnico – que com suas informações provocou a maior crise diplomática dos Estados Unidos com seus aliados em décadas – disse ao deputado alemão que, devido a sua complicada situação, não poderá prestar depoimento pessoalmente.

Advogado faz ressalva

O ministro alemão do Interior, Hans-Peter Friedrich, confirmou ao semanário Die Zeit que Snowden poderia depor aos promotores alemães no caso da suposta espionagem do celular de Merkel. Ele poderia responder às questões por escrito ou falar com os promotores alemães na Rússia, já que não pode deixar o país.

Hans-Christian Ströbele Pressekonferenz Berlin Snowden

Ströbele mostra a carta entregue por Snowden

"Vamos encontrar formas, caso Snowden esteja disposto a conversar com as autoridades alemãs. Essa conversa ainda é possível".

Nesta sexta-feira, o advogado de Snowden, Anatoly Kucherena, garantiu que seu cliente está disposto a cooperar com todos. Mas lembrou os obstáculos que essa cooperação poderá enfrentar, já que ele tem status de asilado político na Rússia.

"Snowden vive na Rússia sob a lei russa. Não pode ir ao exterior sob pena de perder o atual status. E, enquanto estiver na Rússia, aceitou não divulgar nenhuma informação secreta", declarou o advogado.

"Longe demais"

O secretário de Estado americano, John Kerry, disse nesta quinta-feira em uma videoconferência que a espionagem americana foi "longe demais", algo que atribuiu ao fato de a política de inteligência estar "em piloto automático".

man, named National Security Agency (NSA) whistleblower Edward Snowden, is seen in front of the Christ the Saviour Cathedral in central Moscow in this still image taken from video footage shown on Russian television channel Rossiya 24 on October 31, 2013. REUTERS/Reuters TV/Pool (RUSSIA - Tags: POLITICS MEDIA TPX IMAGES OF THE DAY) RUSSIA OUT. NO COMMERCIAL OR EDITORIAL SALES IN RUSSIA

Foto mostra supostamente Edward Snowden em momento de lazer na capital russa

Kerry fez tais declarações por videoconferência com Londres, durante um fórum sobre governabilidade e participação da sociedade civil.

"Não há dúvida que o presidente, eu mesmo e outros no governo americano conhecemos detalhes de atos que estiveram acontecendo no piloto automático, porque a tecnologia estava aí e se manteve ao longo de um extenso período de tempo", explicou Kerry.

"Em alguns casos, reconheço, como já fez o presidente, que estas ações chegaram longe demais e vamos nos assegurar que não aconteça de novo", completou.

RPR/ dpa/ rtr/ ap/ efe

Leia mais