1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Sua Opinião

SIDERÚRGICA THYSSENKRUPP

Planos da ThyssenKrupp no Brasil, documetário sobre Olga Benario, mobbing nas Forças Armadas, música pop em alemão: eis alguns dos temas abordados por nossos usários nesta semana.

default

Sou a favor da construção da siderúrgica! Apenas devemos observar alguns detalhes, pois pretendem fabricar apenas aço bruto. Isto significa apenas uma industrialização primária, proporcionando relativamente poucos empregos, e nos deixando uma carga poluidora considerável.
Qual será o combustível usado? Se for carvão de madeira, coitadas de nossas florestas, mais um vilão. E pensar que o povo alemão fica achando que nós, os brasileiros, é que acabamos com nossas matas...
Por que não industrializar completamente o aço aqui no Brasil, exportando o produto acabado? Do jeito que a TK pretende, o valor agregado fica muito pequeno, deixam por aqui muita poluição e muito lixo, em troca de bem pouco dinheiro.
Paulo Poledna

MOBBING NAS FORÇAS ARMADAS
Há poucas denúncias por medo de verem seus nomes expostos aos mesmos colegas que os humilham e maltratam. Ao mesmo tempo, existe a imagem da impunidade daqueles que praticam tais atos, que coíbe e desestimula a denúncia de maus-tratos.
Rogério Mari

OLGA BENARIO
Sim, conheço perfeitamente a história de Olga Benario. O filme Olga foi mostrado no Brasil em setembro e foi recorde em bilheteria. Olga, Prestes, a filha de Olga: uma história comovente e real, historiografada em fonte de pesquisas em vários livros.
Acho interessante isso ser levado a outros continentes.
Isabelita Rodrigues de Alencar

PROTOCOLO DE KYOTO
Considerando a aplicação histórica e abusiva dos juros, é de interesse multilateral que significativos montantes relativos às dívidas externas dos países em desenvolvimento sejam aplicados em pesquisas e ações para a redução não só da emissão de gases mas de todas as formas e práticas nocivas à vida no planeta.
Volnylson Almeida de Castro

IMIGRAÇÃO MUÇULMANA
O problema da imigração é tão grande, mas pouco se está fazendo a respeito, pois não depende de apenas um país, deve haver um consenso de várias nações a respeito. O grande problema é o choque cultural, acredito que se houvesse uma ajuda econômica aos países subdesenvolvidos, isso poderia frear a imigração e até mandar os imigrantes de volta para seus países, já que a causa de eles estarem lá em maior parte é a pobreza. Não acredito também que essa ajuda econômica deva ser feita nos moldes atuais, ela deve ser feita como uma interferência política, porque esses países subdesenvolvidos têm governos muito corruptos e incompetentes, ou seja, eles nunca vão conseguir o progresso por conta própria. (...) Assim esses países poderão suportar sua população, que não terá a necessidade de abandonar sua terra natal, o aconchego da família e cultura e se aventurar em um país de cultura diferente e passar por todos o problemas que os imigrantes passam. E os países receptores não teriam que suportar os problemas de outros países como vêm fazendo.(...)
Rogério

MÚSICA POP
A música pop cantada em alemão é uma delícia de se ouvir. Tenho adquirido de amigos que viajam para a Alemanha alguns CDs e DVDs da banda Pur e da Yvonne Catterfeld. São excelentes. Ainda não tive a oportunidade de ouvir rock, pois as minhas bandas alemãs preferidas cantam em inglês (Scorpions e Primal Fear). Bem que poderiam "dar uma palhinha" na língua nativa deles. Fãs é que não iriam faltar....
Manoel Caetano

PANDEMIA
Uma pandemia é possível, sim, haja vista a mutação que os vírus têm demonstrado de ano para ano. Em nossa região – Concórdia-SC, meio-oeste do Estado – , vivem colonizadores alemães e italianos. A faixa etária acima de 60 anos representa 10% da população. Atingimos a cobertura vacinal de 96% e registramos redução nas internações hospitalares. As crianças não são imunizadas no serviço público e os adultos o são nas empresas de porte e outros setores. Eu recebo a vacina, sim.
Maria Luiza Marcon (médica)

A QUEDA DE HITLER
Infelizmente ainda não tive oportunidade de ver essa fita e, com certeza, dificilmente a veremos, a não ser em salas alternativas.
Não acho que irá humanizar a figura de Hitler. Pelos comentários da mídia que li, creio tratar-se apenas de um relato dos últimos dias de Hitler e em nada modifica o que se passou. A não ser que o que está acontecendo nos dias de hoje no Iraque, Palestina, etc. possa ser considerado humano.
Antonio Roberto