Sete nadadores russos são cortados da Rio 2016 | Rio 2016 | DW | 25.07.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Rio 2016

Sete nadadores russos são cortados da Rio 2016

Federação Internacional de Natação exclui sete atletas da Rússia, incluindo a campeã mundial Yulia Efimova. Medida segue decisão do COI de dar a palavra final sobre as suspensões às federações de cada esporte.

A russa Yulia Efimova, em foto de 2013

A russa Yulia Efimova, em foto de 2013

A Federação Internacional de Natação (Fina) anunciou nesta segunda-feira (25/07) que sete nadadores russos foram cortados dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Entre eles está a atleta Yulia Efimova, medalhista olímpica e atual campeã mundial dos 100 metros de nado peito.

A medida vem um dia depois de o Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciar que cabe às federações internacionais de cada modalidade esportiva decidir quais atletas russos poderão competir, em consequência do grave escândalo de doping que afeta o esporte do país.

O COI ressaltou, no entanto, que a Rússia não poderá inscrever na Rio 2016 nenhum atleta que já tenha sido condenado por doping no passado. Todos os competidores de atletismo também continuam banidos, após decisão da Corte Arbitral do Esporte (CAS).

Segundo a federação, quatro deles – Yulia Efimova, Mikhail Dovgalyuk, Natalia Lovtcova e Anastasia Krapivina, esta última da maratona aquática – foram cortados pelo Comitê Olímpico Russo (ROC).

Os demais – Nikita Lobintsev, Vladimir Morozov e Daria Ustinova – estão de fora por terem sido citados num relatório da Agência Mundial Antidoping (Wada), que encontrou indícios de um esquema de doping patrocinado pelo Estado russo na Olimpíada de Inverno de Sochi de 2014.

"A Fina reconhece e apoia a posição do COI em relação à participação de atletas russos 'limpos' nos Jogos Olímpicos do Rio", diz um comunicado, que também cita a Wada. "O relatório mostrou que as regras antidoping e o código da Wada não foram corretamente executados na Rússia."

Efimova foi flagrada em exame antidoping com meldonium no início deste ano, mas a Fina retirou as acusações, deixando-a livre para competir no Rio. Após o banimento desta segunda-feira, o agente da atleta, Andrei Mitkov, disse que irá apelar contra a decisão junto à CAS.

A nadadora era uma das favoritas ao pódio nos 100 metros e 200 metros de nado peito – tendo a última prova lhe rendido a medalha de bronze nos Jogos de Londres, em 2012.

Entre os nadadores cortados há outros dois medalhistas olímpicos, Morozov e Lobintsev, que conquistaram o bronze nos 4x100 metros de nado livre também na capital britânica.

EK/afp/ap/rtr

Leia mais