1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Serena Williams, imbatível também em Leipzig

Líder do ranking só perdeu um set em todo o Grand Prix alemão. Ainda insatisfeita com seu jogo, norte-americana quer agora ganhar quarto torneio consecutivo do Grand Slam. Steffi Graf foi a última a realizar a façanha.

default

Serena: "Gosto quando os homens me olham, mas tento agradar todos os espectadores"

A fome de vitória e perfeição de Serena Williams parece não ter fim. Na decisão do 13º Grand Prix de Leipzig, a norte-americana arrasou a russa Anastasia Myskina. Em apenas 1h16min, impôs 2 sets a zero (6/3, 6/2). O título de Leipzig, ainda inédito em sua carreira, lhe valeu 93 mil dólares, mantendo-a na liderança também do ranking de prêmios arrecadados.

Na final, a norte-americana provou mais uma vez por que é a atual melhor tenista do mundo. Para começar, mostrou nervos quando Myskina lhe passou à frente no primeiro set (2 a 1). Sem se abalar, retomou o domínio do jogo, sem dar nova chance à russa, que na véspera eliminara na semifinal a bicampeã do torneio, a belga Kim Clijsters. Em Leipzig, Serena perdeu apenas um set, em sua estréia, para a alemã Anca Barna.

"Tomar as decisões corretas e acertar as bolas certas nos momentos certos fazem a diferença entre as cinco melhores do ranking e o resto das meninas", afirma a número 1, que completou em Leipzig, na quinta-feira, 21 anos, mesma idade da adversária russa, 12ª do ranking.

Temporada invejável – Na atual temporada, Serena tornou-se quase imbatível. Das 57 partidas que disputou, só perdeu quatro. De 12 torneios, conquistou oito, inclusive Roland Garros, Wimbledon e o Aberto dos EUA, todos três tendo a irmã mais velha como adversária na final. A seqüência de sucessos a fez tomar de Venus o lugar no topo do ranking.

Mesmo assim, a melhor tenista da atualidade não está satisfeita. "Não jogo ainda no nível que gostaria. Ainda posso mais. Erro muitas bolas fáceis", declarou a perfeccionista antes da decisão no Leste da Alemanha neste domingo.

Sucesso de público – Os organizadores comemoram o êxito de público e o atribuem especialmente à presença de Serena, além de outras três tenistas top-ten da WTA. Cerca de 33 mil espectadores assistiram às partidas durante toda a semana. Mais de 6,5 mil acompanharam a extravagante campeã mundial em traje cor-de-rosa e preto vencer a final. "Gosto quando os homens me olham. Mas eu não tento agradar apenas a eles, mas a todo o público", declarou a tenista à edição dominical do Bild, o jornal de maior circulação da Alemanha.

Serena não gosta, porém, de muita intimidade com os fãs. Há meses ela vem sendo perseguida por um admirador alemão, que acabou até detido em Nova York durante o Aberto dos EUA. Em Leipzig, para fugir do assédio, andou sempre com guarda-costas e entrava no local de competições pela cozinha.

Meta: igualar-se a Steffi Graf – Esta foi a estréia da norte-americana em Leipzig, uma vez que ela cancelou sua presença no ano passado, após os atentados de 11 de setembro nos EUA. Como campeã, "ela agora tem obrigação moral de jogar no próximo ano de novo", acredita o diretor do torneio, Ivan Radosevic, acrescentando: "Ela já me confirmou presença para 2003.

Missão cumprida, a norte-americana de 21 anos tira agora dez dias de férias, retornando às quadras novamente na Alemanha, no torneio de Filderstadt (5 a 13 de outubro). Suas próximas grandes metas são defender ainda este ano o título do campeonato mundial, em Los Angeles, e, em janeiro, vencer o Aberto da Austrália, completando assim a seqüência de vitórias dos quatro torneios do Grand Slam. A última a realizar esta façanha foi a alemã Steffi Graf, em 1988.

Links externos