1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Separatistas vencem eleições regionais na Catalunha

Pleito ganha caráter de plebiscito de fato sobre a separação da região mais rica da Espanha em relação a Madri. Presidente da Generalidade da Catalunha, Artur Mas, promete a independência até 2017.

default

Bandeira secessionista pairou sobre Barcelona

As

legendas secessionistas

obtiveram maioria absoluta nas eleições ao parlamento regional da Catalunha, realizadas neste domingo (27/09). A principal delas, Juntos Pelo Sim, liderada por Artur Mas, atual chefe do Executivo catalão, conquistou 62 dos 135 assentos do órgão legislativo.

A coalizão é formada por dois partidos separatistas e por integrantes de organizações civis independentistas. Estando aquém dos 68 postos necessários à maioria absoluta, para dominar o Parlamento a Juntos Pelo Sim necessita das dez cadeiras que couberam à Candidatura de Unidade Popular (CUP). O grupo de esquerda secessionista e antissistema se recusou a integrar a lista de unidade criada pelo presidente da Generalidade da Catalunha.

A presente eleição regional foi reivindicada por Mas como substituto ao plebiscito sobre a independência da região marcado para novembro de 2014, mas cuja realização foi impugnada pelo Tribunal Constitucional.

Tendo conquistado a maioria absoluta no Parlamento, a intenção de Artur Mas é formar um governo de coalizão a fim de, num prazo máximo de um ano e meio, lançar as bases para a proclamação da independência da região mais rica da Espanha.

Katalonien Artur Mas Regionalwahl

Atual chefe do Executivo, Artur Mas (c.), promete independência até 2017

Antisseparatistas prometem resistência

As apurações também indicam que a primeira força parlamentar não separatista nas urnas será o partido de centro-direita Cidadãos, com 25 assentos. Depois vêm os socialistas do PSC, com 16, seguidos pela nova aliança de esquerda Catalunha Sim Nós Podemos, com 11 assentos.

Todas essas três legendas rechaçam a separação da região em relação à Espanha. O Partido Popular (PP), do primeiro-ministro Mariano Rajoy, despencou nas sondagens, ficando com apenas 11 postos. Seu governo, cujo mandato termina em dois meses, anunciou que utilizará todos os meios legais a seu alcance para frear o processo independentista, que é vedado pela Constituição espanhola.

A participação eleitoral neste domingo foi histórica: dos 5,5 milhões de catalães convocados às urnas, cerca de 77% participaram do pleito, cerca de 20 pontos percentuais a mais do que nas últimas eleições, em 2012.

AV/rtr/efe/dpa

Leia mais