1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

América Latina

Senadores brasileiros cumprem agenda na Venezuela

Visita ocorre uma semana após primeira comitiva ser hostilizada em Caracas. Parlamentares reúnem-se com parentes de vítimas durante protestos contra Maduro no ano passado e conversam com esposas de opositores presos.

Senator Requiao und Lilian Tintori

Senador Roberto Requião (PMDB-PR) ao lado de Lilian Tintori, esposa do oposicionista venezuelano Leopoldo López

Em visita à Venezuela nesta quinta-feira (25/06), um grupo de senadores brasileiros reuniu-se com representantes do Comitê das Vítimas de Guarimba, do qual participam familiares de vítimas de violência durante protestos contra o presidente Nicolás Maduro no ano passado. Entre os mortos está o então capitão da Guarda Nacional Ramzor Bracho, morto por um tiro nas costas por disparo supostamente feito por opositores.

Pouco depois, os parlamentares reuniram-se com esposas de líderes opositores presos, como Leopoldo López e Antonio Ledezma. O grupo, no entanto, descartou uma ida ao presídio. Estão agendados ainda encontros com representantes do Ministério Público, da Defensoria Pública e com o presidente do Legislativo, Diosdado Cabello, na Assembleia Nacional.

A comitiva brasileira é formada pelos senadores Lindbergh Farias (PT-RJ), Telmário Mota (PDT-RR), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e Roberto Requião (PMDB-PR). Os parlamentares viajaram em um jato da Força Aérea Brasileira.

Ao desembarcarem em Caracas, na noite de quarta-feira (horário local), os senadores afirmaram que o objetivo da visita era ouvir "todos os lados" e mostrar que o Senado brasileiro não quer interferir na disputa política interna do país vizinho.

"Não cabe a nós, senadores, acirrar qualquer disputa interna", declarou Grazziotin. Lindbergh Farias disse que os parlamentares não pretendem interferir nas eleições venezuelanas. "Não viemos para dar apoio político, mas para informar o Senado da situação. Vamos conversar com todas as tendências".

Esta é a segunda missão de senadores brasileiros na Venezuela em uma semana. Na primeira, quinta-feira passada, a delegação composta por algumas das principais vozes de oposição à presidente Dilma Rousseff – como Aécio Neves (PSDB-MG), Aloysio Nunes (PSDB-SP), José Agripino (DEM-RN) e Ronaldo Caiado (DEM-GO) – decidiu voltar ao Brasil pouco depois de desembarcar em Caracas após ser hostilizada por manifestantes favoráveis a Maduro. Os parlamentares pretendiam visitar líderes da oposição venezuelana que se encontram presos.

O governo de Maduro, porém, declarou que o "único propósito" da delegação anterior era "desestabilizar a democracia venezuelana e gerar confusão e conflito entre países irmãos".

MSB/abr/asen/efe

Leia mais