Seminários preparam universitários para profissão | DW Brasil | Notícias e análises do Brasil e do mundo | DW | 20.02.2012
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Seminários preparam universitários para profissão

Muitos graduandos sentem-se inseguros para ingressar na vida profissional. Por isso, as universidades alemãs oferecem uma gama de palestras e oficinas de qualificação. Na Universidade de Hamburgo, há cerca de 50 opções.

Cerca de 61% dos universitários alemães sentem-se despreparados para entrar no mercado de trabalho ao concluírem seus estudos, de acordo com o recente estudo Unicensus 11. Por isso, desde 2005 as universidades da Alemanha são obrigadas a ministrar aos estudantes de graduação seminários de "Competências gerais relacionadas à profissão" (AKB, na sigla em alemão).

Uma das instituições que leva os AKBs mais a sério é a Universidade de Hamburgo. Todos os alunos precisam participar dos seminários profissionais, contando com uma oferta de cerca de 50 eventos diferentes. O objetivo é que sejam adquiridas habilidades multidisciplinares, que podem ser aplicadas em todas as profissões. Um estudante de Filosofia, também deveria ter conhecimentos básicos de administração, por exemplo.

"Cada estudante pode decidir em que área deseja aprofundar seus conhecimentos – seja em administração, marketing, estatística ou comunicação", diz Ulrike Job, que dirige o Centro para Estudo e Profissão do Departamento de Letras, Literatura e Ciências da Comunicação.

Descobrir a profissão

ABK-Seminare

"Cada estudante pode decidir em que área deseja aprofundar seus conhecimentos", diz Job

O início dos estudos é o momento de explorar as áreas profissionais. "Muitos dos estudantes não tem ideia alguma do que os espera na profissão e do que será exigido deles", diz Daniela Stohn, jornalista free lancer que há dois anos dá seminários sobre jornalismo.

Segundo a docente, a maioria dos estudantes chega às aulas sem saber se realmente quer trabalhar como jornalista no futuro. Uma visita ao jornal diário local Hamburger Abendblatt e as conversas com diferentes profissionais dão uma noção sobre as possibilidades da profissão.

Os seminários também ensinam como se candidatar a uma vaga de emprego. Há ainda o ensino de aptidões úteis em diversas profissões, como habilidades de comunicação, competência intercultural, gerenciamento de crise e habilidades midiáticas.

Experiências práticas

Dos cerca de 1.200 universitários consultados no Unicensus, 11,67% consideram importante a aquisição de experiências práticas durante a graduação. Entretanto, apenas um terço dos entrevistados tinha um estágio que os prepararia para a futura carreira.

A estudante Johanna Jensen já sabe que quer ser jornalista. Mesmo assim, aprendeu muito com os AKBs, principalmente com relação a qualificações-chave. "Fiz um curso de informática e pensava que já sabia tudo sobre o assunto", diz, mas estava longe disso. Agora, ela conta que consegue formatar um texto inteiro com dois cliques, o que "é muito útil".

ABK-Seminare

A estudante Johanna Jensen adquiriu conhecimentos de informática em seminário

Além de conhecimentos gerais, a Universidade de Hamburgo oferece também cinco seminários específicos. Um deles é a oficina "escrita jornalística". A professora e jornalista Stohn deixa que os alunos escrevam seus próprios textos, que, depois, ela edita e comenta. "Nas redações, dificilmente alguém tem tempo para isso, não se recebe um feedback", diz.

Um seminário como esse, porém, não substitui um estágio. "Não se pode comparar", considera Stohn. Por isso, Laura Westfalen, de 20 anos, já se candidatou a um estágio. As impressões tiradas do seminário reforçaram o desejo da estudante de se tornar jornalista.

Autora: Janine Albrecht (lpf)
Revisão: Augusto Valente

Leia mais