Sem oponentes, Blatter é eleito presidente da Fifa pela quarta vez | Siga a cobertura dos principais eventos esportivos mundiais | DW | 01.06.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Sem oponentes, Blatter é eleito presidente da Fifa pela quarta vez

Candidato único à presidência da Fifa, Blatter reelegeu-se com 186 votos para o quarto mandato à frente da federação mundial de futebol. A Fifa confirmou também mudança nas regras para a escolha da sede da Copa do Mundo.

Blatter segue para o quarto e último mandato no comando da Fifa

Blatter segue para o último mandato no comando da Fifa

Em meio à maior crise da história da Fifa, provocada por escândalos de corrupção, Joseph Blatter foi eleito nesta quarta-feira (01/06) pela quarta vez consecutiva como presidente da entidade máxima do futebol internacional. O suíço de 75 anos recebeu 186 votos dos 203 delegados que participaram da eleição no congresso anual da Fifa, realizado em Zurique, na Suíça.

Blatter foi eleito pela primeira vez para comandar a Fifa em 1998, quando venceu a disputa contra o sueco Lennart Johansson. Na eleição de 2002, voltou a vencer por clara maioria Issa Hayatou, de Camarões. O terceiro mandato começou em 2007, em que concorreu como candidato único e foi eleito por aclamação.

Nesta quarta-feira, Blatter também foi o único candidato na votação, depois que Mohammed Bin Hammam abandonou a disputa por ter sido suspenso pela Comissão de Ética da Fifa, acusado de tentar comprar votos para a eleição presidencial.

Momentos antes da votação desta quarta-feira, Inglaterra e Escócia haviam apresentado um pedido de adiamento das eleições. O requerimento entretanto foi rejeitado pela maioria dos delegados no congresso.

Candidato único, Blatter obteve 186 dos 208 votos

Candidato único, Blatter obteve 186 dos 208 votos

Reformas radicais

Logo após a reeleição de Blatter, a Fifa confirmou mudanças nas regras para eleger a sede da Copa do Mundo de Futebol. Daqui para frente, cada um dos 208 membros da Fifa terá um voto na escolha. A proposta foi aprovada por 176 votos contra quatro.

"Foi uma decisão forte e coerente. Passar a decisão para as mãos do Congresso é um golpe para qualquer possível corrupção. Nesse sentido fiquei muito contente", disse o novo membro do Comitê Executivo da Fifa, o alemão Theo Zwanziger. Ele substitui Franz Beckenbauer, que se despediu oficialmente do Comitê Executivo nesta quarta-feira.

As alterações na escolha do país-sede da Copa haviam sido sugeridas por Blatter horas antes, em discurso no Congresso da Fifa. Anteriormente, a decisão era tomada pelos 24 membros do Comitê Executivo da entidade, agora envolvido em uma série de escândalos por denúncias de corrupção.

"Trata-se de empreender uma mudança radical, e não apenas pequenas melhoras estéticas", dissera Blatter no discurso de abertura do Congresso da Fifa.

Peritos externos

Na agenda de reformas de Blatter também está prevista uma "comissão" para combater casos de corrupção e suborno, composta por especialistas de diversas áreas. Não está claro, no entanto, se esta comissão será separada da comissão disciplinar e ética.

Também a Comissão de Ética, recentemente reformulada devido às infindáveis denúncias de corrupção, deve ser "fortalecida". De acordo com a vontade do chefe da Fifa, a comissão será dividida em duas partes, em "uma espécie de promotoria, que vai conduzir as investigações" e em "um tribunal, que vai trabalhar como qualquer outro tribunal no mundo", explicou Blatter.

FF/dpa/rtr/sid
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais