Seleção brasileira enfrenta Alemanha de Cacau em amistoso | Leia as principais notícias sobre o futebol internacional | DW | 09.08.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Futebol

Seleção brasileira enfrenta Alemanha de Cacau em amistoso

Após a eliminação na Copa América, técnico Mano Menezes encara desafio de recuperar confiança do time em amistoso contra os alemães. Pela primeira vez, brasileiros enfrentarão o conterrâneo Cacau, capitão do Stuttgart.

default

Cacau jogará com a camisa alemã contra o Brasil

Nesta quarta-feira (10/08), a seleção brasileira, de Mano Menezes, jogará contra a da Alemanha, de Joachim Löw, às 15h45 (horário de Brasília) no estádio completamente reformado de Stuttgart, no sudoeste alemão.

No 21º duelo teuto-brasileiro da história do futebol, o técnico brasileiro pretende recuperar os ânimos da equipe no primeiro reencontro após a derrota contra o Paraguai na Copa América, há menos de um mês. A partida também será um desafio para o jogador Cacau, capitão do Stuttgart, que, após residir 12 anos na Alemanha e ter sido naturalizado alemão, enfrenta o Brasil pela primeira vez.

Além da derrota após perder quatro pênaltis contra os paraguaios, o Brasil não vence um grande time há tempos. Após perder contra a Argentina e a França e empatar contra a Holanda na Copa de 2010, os torcedores esperam que o técnico – há um ano no comando da seleção – finalmente consiga uma vitória significativa contra a Alemanha. "Será um teste maravilhoso", disse Menezes, ex-treinador do Grêmio e do Corinthians.

Ele aposta nos jovens craques Neymar, 19, Pato, 21, e Ganso, 21, em um sistema ultraofensivo com três atacantes. Também convocou jogadores que atuam no exterior, como Renato Augusto, do Bayer Leverkusen, e Luiz Gustavo, do Bayern de Munique. As estrelas Kaká e Marcelo, ambos do Real Madrid, ficaram de fora outra vez.

O teuto-brasileiro Cacau

Mario Götze

Löw aposta no talento de Götze



Claudemir Jerônimo Barreto, o Cacau, encomendou 60 ingressos para o amistoso desta quarta-feira, para sua esposa Tamara, seu pai e outros parentes. "A condição é que eles torçam para a Alemanha", diz o brasileiro, que jogará pela seleção alemã contra o Brasil pela primeira vez.

"Sempre sonhei em jogar contra minha terra natal. Será um momento muito especial para mim", diz Cacau, que possui as cidadanias brasileira e alemã. "Sou alemão de coração, mesmo que não consiga negar minhas raízes brasileiras."

Aos 30 anos de idade, Cacau está na Alemanha há 12, aonde chegou como "um ninguém", nas próprias palavras. De início, acompanhou um grupo de músicos brasileiros pelo país, em busca de um clube, até assinar contrato com o Türk Gücü de Munique. Em 2001, aos 20 anos, foi para o FC Nürnberg. Desde 2003, o atacante brasileiro está no Stuttgart, onde hoje é capitão.

A partida contra o Brasil será a 18ª atuação de Cacau com a camisa da seleção alemã, pela qual já marcou 4 gols. A Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, pode ser considerada o auge de sua carreira, que inclui o título do Campeonato Alemão conquistado com o Stuttgart em 2007.

"É inacreditável o rumo que minha carreira tomou na Alemanha", declarou Cacau, que quer entrar em campo no amistoso contra o Brasil. "O treinador ainda não me prometeu, mas espero jogar", disse o jogador.

As apostas de Löw

Na partida contra o Brasil, Joachim Löw concederá ao estreante Mario Götze, 19, o papel central no meio de campo. O treinador abriu mão dos meio-campistas Mesut Özil e Sami Khedira, do Real Madrid.

Michael Ballack, do Leverkusen, também ficou de fora. O craque, que jogou 98 vezes com a camisa da Alemanha, recusou o convite para jogar contra o Brasil sua partida de despedida da seleção alemã. "Foi uma oferta honesta de nossa parte. Não tenho nada mais a dizer", declarou Löw.

O treinador alemão espera que todos os 22 jogadores estejam prontos para entrar em campo, até mesmo Jérôme Boateng, do Bayern de Munique, que se lesionou recentemente. Outros grandes nomes da equipe são Philipp Lahm, Bastian Schweinsteiger e o goleiro Manuel Neuer, todos do Bayern.

Saldo favorece Brasil

Roque Junior

Roque Junior e Miroslav Klose, na inesquecível final de 2002



Brasil e Alemanha já se enfrentaram 20 vezes. A equipe verde-amarela venceu 12 vezes, perdeu três e cinco partidas terminaram em empate. De Pelé a Ronaldo, os duelos permanecem na memória de brasileiros e alemães. O clímax foi a final da Copa do Mundo de 2002, no Japão, quando a seleção canarinha conquistou o pentacampeonato por 2 a 0 contra o time do goleiro Oliver Kahn.

O primeiro confronto entre as duas nações aconteceu em Hamburgo, em 1963. E já começou com uma vitória do Brasil por 2 a 1, com gols de Coutinho e Pelé. O primeiro triunfo dos alemães viria cinco anos depois, em Stuttgart, também por 2 a 1.

Os melhores resultados da Alemanha e do Brasil ocorreram em 1986 e em 1999, respectivamente. A vitória alemã por 2 a 0, em Frankfurt, foi também a primeira vez que o Brasil não marcou gols contra a seleção germânica. Já a conquista brasileira foi por goleada: 4 a 0, na Copa das Confederações no México, com gols de Zé Roberto, Ronaldinho e Alex.

No amistoso desta quarta-feira, brasileiros e alemães, com Neymar de um lado e Cacau do outro, se enfrentarão em um estádio lotado, com capacidade para 54.767 espectadores. O jogo será transmitido para 190 países.

LPF/dpa/sid
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais