Seleção alemã pernoita no Stade de France | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 14.11.2015
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Seleção alemã pernoita no Stade de France

Por razões de segurança, jogadores, dirigentes e comissão técnica não retornam ao hotel e passam a noite nos vestiários do estádio, em Paris. Na manhã seguinte aos ataques, delegação é escoltada para o aeroporto.

A seleção alemã de futebol passou a noite de sexta-feira (13/11) para sábado no Stade de France, em Paris. Durante o amistoso entre França e Alemanha, houve explosões nos arredores no estádio, além de um sequência de ataques perpetrados em restaurantes, cafés e numa casa de shows na capital francesa.

Devido ao estado de emergência em Paris, a delegação alemã resolveu não retornar ao hotel em que estava hospedada – na sexta-feira, o hotel havia sido evacuado por causa de uma ameaça de bomba. Em vez disso, jogadores, dirigentes e comissão técnica pernoitaram no Stade de France.

"Quisemos evitar qualquer risco e decidimos não atravessar Paris, permanecendo nos vestiários", explicou o diretor esportivo da seleção alemã, Oliver Bierhoff, já no aeroporto de Frankfurt, neste sábado (14/11). Logo na manhã, a delegação foi escoltada pela polícia francesa e seguiu diretamente para o aeroporto, de onde seguiu viagem até a Alemanha.

Alemanha e França disputavam um jogo amistoso no Stade de France, o palco escolhido para a final da Eurocopa 2016, quando várias explosões foram ouvidas no estádio. Em imagens televisivas é possível notar a reação de jogadores olhando para as arquibancadas, tentando localizar as explosões.

A seleção alemã apenas teve conhecimento da dimensão dos atentados no vestiário, após o apito final do encontro vencido pelos franceses, com gols de Olivier Giroud, aos 46 minutos do primeiro tempo, e Andre-Pierre Gignac, aos 41 do segundo.

Bierhoff explicou ainda que os jogadores alemães estavam "chocados" e "muito ansiosos" porque "as informações não eram muito esclarecedoras". Os atletas estão descansando neste sábado, à espera da confirmação do amistoso contra a Holanda, agendado para a próxima terça-feira.

"Ainda não há uma decisão tomada, mas eu acho que devemos jogar. Não devemos dar a vitória aos que nos atacaram", afirmou o presidente interino da federação alemã, Reinhard Rauball.

Ao menos 127 pessoas morreram e 180 ficaram feridas, das quais mais de 90 em estado crítico, em diversos atentados em Paris na sexta-feira à noite, segundo os números divulgados por autoridades francesas. Oito terroristas morreram – sete deles se suicidando usando cintos com explosivos

Os ataques ocorreram em pelo menos sete locais diferentes da cidade, entre eles uma tradicional casa de shows e o principal estádio de futebol de país. A França decretou o estado de emergência, três dias de luto nacional e restabeleceu o controle de fronteiras na sequência daquilo que o presidente francês, François Hollande, classificou como "ataques terroristas sem precedentes no país".

PV/lusa/dpa

Leia mais