1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Seleção Alemã busca integração e experiência na Ásia

Equipe dirigida por Jürgen Klinsmann fará amistosos com Japão, Coréia do Sul e Tailândia. Viagem serve para integrar o grupo, a um ano e meio da Copa de 2006. Pela primeira vez, equipe viaja acompanhada por um psicólogo.

default

Klinsmann, invicto como técnico alemão

A Seleção Alemã de futebol aproveita o recesso de inverno no campeonato alemão para, ainda antes das festas de fim de ano, acelerar a integração do grupo e adquirir experiência em amistosos bem longe da Europa. Por causa da mudança radical de clima [na Europa é inverno], do fuso horário e das 11 horas de vôo até o Japão, aonde chegaram nesta terça-feira (14), o técnico Jürgen Klinsmann promete um programa leve para seus jogadores.

Seriedade será exigida apenas nas partidas contra o Japão, de Zico, nesta quinta-feira; a Coréia do Sul, domingo; e a Tailândia, dia 21, treinada pelo ex-jogador alemão Siegfried Held. No saldo dos quatro amistosos disputados sob o comando de Klinsmann estão três vitórias e o empate diante do Brasil, em Berlim.

EM 2004 Lettland gegen Deutschland Michael Ballack

Michael Ballack, capitão

"Estamos muito contentes com esta viagem. É importante que o time fique junto por um período maior de tempo, como preparação já para a Copa de 2006. Claro que queremos convencer como adversários, mas também pensamos em nossa integração", disse o capitão Michael Ballack, servindo de porta-voz para os companheiros.

Oportunidade para todos jogarem

"Em primeira linha, pensamos na regeneração. Para isso pretendemos relaxar no hotel e os jogadores terão bastante folga para fazer compras de Natal ou simplesmente passear", afirmou o treinador. Para isso, contarão com as dicas de dois alemães no Japão: Guido Buchwald (técnico do Urawa Red Diamonds) e Pierre Litbarski (Yokohama FC).

Klinsmann pretende aproveitar as três partidas para testar jogadores e variar em campo: "Se possível, ninguém ficará três vezes 90 minutos em campo". O jogo contra o Japão, nesta quinta-feira, será disputado no estádio de Yokohama, o mesmo onde a Alemanha foi derrotada por 2 a 0 pelo Brasil na final da Copa de 2002. Não será um jogo fácil, adianta o técnico, de 40 anos, que diz ter estudado atentamente um vídeo com a atuação do time: "Não é à toa que os japoneses são campeões asiáticos".

O técnico lembra, no entanto, o respeito mundial à equipe alemã: "Há um respeito geral por nossos valores, que se desenvolveram em várias décadas: os alemães sempre mostram presença quando necessário. Principalmente em torneios. Nenhum técnico se interessa pelos resultados que tivemos anteriormente. Quando começa uma competição, todos dizem: 'Lá vem a Alemanha, temos de tomar cuidado'. Isto nós também dizemos aos nossos jogadores, para lhes dar autoconfiança. Talvez a gente às vezes se menospreze demais".

No plantel para o primeiro amistoso, o treinador apenas não tem à disposição os quatro jogadores do Stuttgart (Hildebrand, Lahm, Hinkel e o teuto-brasileiro Kevin Kuranyi), que defendem seu clube nesta quarta-feira contra o Kiev pela Copa da Uefa e se reúnem ao grupo mais tarde.

Landscape Banner BildgalerieTeamdeutsch Euro2004 Torhüter Timo Hildebrand

Timo Hildebrand espera sua chance como goleiro

Oliver Kahn deve ser escalado para o gol nos dois primeiros jogos e Hildebrand, no último. Klinsmann quer testar também os novos, Christian Schulz, Marco Engelhardt e Patrick Owomoyela. Um conhecido dos alemães na equipe adversária é Naohiro Takahara, atacante do Hamburgo, clube do norte da Alemanha que disputa a Bundesliga.

Psicólogo amplia apoio técnico

Pela primeira vez, a Seleção Alemã viaja acompanhada de um psicólogo. A primeira tarefa de Hans-Dieter Hermann é integrar-se na equipe médica, "só depois ele vai conversar com os jogadores e explicar como vê nossa cooperação", explica Klinsmann, que tem a colaboração do também ex-jogador Oliver Bierhoff.

A equipe técnica é formada ainda pelo preparador físico do Bayern de Munique, Oliver Schmidtlein, e o norte-americano Jack Forsythe. Este foi o responsável pela introdução de métodos de treinamento incomuns na Alemanha, mas que deram uma nova dinâmica aos treinos do grupo.

Leia mais