1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Segunda geração de terroristas em ação

Serviço Secreto alemão suspeita de uma nova geração de terroristas islâmicos, dissociada de Bin Laden e capaz de agir com prontidão em diversas partes do mundo.

default

Corpos esfacelados diante do Círculo Comunitário Israelita de Casablanca, Marrocos

O Serviço Secreto alemão alertou para o perigo de novos atentados terroristas, não apenas no norte e leste da África, mas também na Arábia Saudita e Afeganistão. De acordo com um relatório sigiloso, parcialmente divulgado pelo jornal Welt am Sonntag, a organização terrorista Al Qaeda se reestruturou e está apta a atuar simultaneamente em diversos lugares do mundo.

Bin Laden vive – “Seu potencial de recrutamento e seu círculo de adeptos na Arábia Saudita, no Iêmen, nos Emirados Árabes e no Kuwait ainda estão intactos”, cita o jornal, remetendo-se ao relatório. De acordo com o documento, Osama bin Laden continua vivendo numa região dificilmente acessível na fronteira do Paquistão e a atual onda de terror é comandada por uma nova geração de líderes.

Nova geração – Foi assim que o porta-voz da Al Qaeda, Thalet Bin Aziz, descreveu a nova organização árabe “Al Muhawidun”, até então desconhecida. Ela segue a doutrina da Al Qaeda, mas seus integrantes – todos jovens – não mantém contato com Bin Laden e não são conhecidos da organização antecessora. Desta forma, o depoimento de prisioneiros membros da Al Qaeda pouco adiantará para o esclarecimento dos novos atentados.

O exemplo RAF – Em sua análise, o Serviço Secreto alemão compara o desenvolvimento das organizações de terror islâmicas com a trajetória da Fração do Exército Vermelho (RAF), o grupo terrorista alemão de extrema-esquerda que se radicalizou ainda mais após a prisão da primeira geração, na década de 70. O exemplo da RAF mostra que os atentados mais graves foram cometidos pela segunda geração.

Próximos alvos – O Serviço Secreto alemão também alerta para o perigo de novos atentados no Afeganistão, sobretudo contra o acampamento da tropa internacional de proteção ISAF, onde 2400 soldados alemães estão estacionados. De acordo com a análise de armas e explosivos apreendidos, tudo indica que alvos norte-americanas no Paquistão sejam os próximos na mira dos terroristas.

Berlim reage – O governo alemão condenou severamente a série de atentados em Marrocos. O ministro do Exterior, Joschka Fischer, declarou que a notícia dos atentados de Casablanca foi recebida com profunda indignação pelo governo em Berlim. Para Fischer, os novos atentados revelam que a comunidade internacional não pode ceder na luta contra o terrorismo.

O novo terror – Na cidade marroquina de Casablanca, quatro atentados cometidos simultaneamente na noite de sexta-feira (16) deixaram pelo menos 40 mortos. Os EUA responsabilizaram a Al Qaeda pelos atos de terror. As bombas atingiram um centro comunitário judaico, o consulado belga, um hotel e um restaurante espanhol.

Leia mais