1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Schröder reitera apoio a futuros membros da UE

Schröder visita Romênia e Bulgária para discutir as relações bilaterais e os pressupostos para o ingresso dos dois países na UE. Na Romênia, ele visita pela primeira vez o túmulo de seu pai, morto na 2ª Guerra.

default

Romenos limpam o caminho até o túmulo do pai de Schröder

O chanceler federal alemão, Gerhard Schröder, chegou nesta quinta-feira (12) a Bucareste, onde se encontra com o premiê Adrian Nastase e o presidente Ion Illiescu. Ele viaja acompanhado de uma delegação de empresários. Na capital romena serão assinados contratos no valor de um bilhão de euros. Além do estreitamento das relações econômicas, a futura aceitação da Romênia como membro da UE é um dos assuntos centrais da visita de Schröder.

Ion Illiescu

Presidente romeno, Ion Illiescu

Desafio UE — Após ingressar na OTAN neste ano, a Romênia espera que a Alemanha apóie seu ingresso na União Européia em 2005. Para isso, o governo social-democrata do premiê Adrian Nastase tem que encerrar o último capítulo de negociações com a UE. Num encontro de cúpula ocorrido há dois meses, a comunidade abriu a perspectiva de a Romênia e a Bulgária serem aceitas como países-membros.

Acelerar reformas — Agora a Romênia tem que fazer a lição de casa, a fim de não colocar em risco seu possível ingresso na comunidade em 2007. O Fundo Monetário Internacional já advertiu que é fundamental o governo em Bucareste acelerar o processo de reformas e garantir a estabilização macroeconômica. Só assim seria possível assegurar o crescimento econômico a médio prazo e o abismo que separa a Romênia da UE quanto à remuneração de trabalho. Em princípio, a situação econômica do país não é das piores: durante três anos seguidos, o crescimento econômico foi de 5% e, para o ano corrente, conta-se com uma taxa de 5,6%, a maior dos últimos vinte anos.

Duas mil estatais — O processo de privatização na Romênia, um dos eixos da reestruturação econômica, foi muito moroso até agora. Mas com o encampamento do maior conglomerado petrolífero romeno, Petrom, pelo grupo austríaco OMV, é possível que haja uma virada. Com cerca de duas mil empresas estatais, a Romênia é o país ex-comunista do Leste Europeu com o maior patrimônio a ser privatizado.

Georgi Parwanow

Georgi Parvanov, presidente búlgaro

Missão Bulgária — Na sexta-feira (13/8), Gerhard Schröder parte para a Bulgária, onde se encontrará com o presidente Georgi Parvanov e com o premiê Simeon Saxcoburggotski, além de participar de um fórum econômico bilateral. A intenção de a Bulgária se tornar membro da UE em 2007 é apoiada pela Alemanha, segundo reiterou Schröder diversas vezes.

Crime e corrupção — O fundamental, no entanto, é o relatório de progresso e a decisão do encontro de cúpula da UE no terceiro trimestre. Neste sentido, é provável que Schröder tematize em Sófia o combate à criminalidade e à corrupção, dois dos maiores déficits da Bulgária na visão da União Européia. Além disso, o chefe de governo alemão deverá conversar sobre a possível aceitação da Turquia e dos países balcânicos do leste na UE. Quanto à política internacional, é possível que a Bulgária apóie a Alemanha em sua meta de se tornar membro permanente do Conselho de Segurança da ONU.

Grabstein von Gerhard Schröders Vater

Lápide do túmulo de Fritz Schröder, em Ceanu Mare, Romênia

Sepultura paterna — A visita do chanceler federal alemão ao Leste Europeu também tem um aspecto pessoal. Logo após sua chegada a Bucareste, Gerhard Schröder viajou à localidade de Ceanu Mare, onde visitou pela primeira vez o túmulo do pai. O cabo do exército alemão Fritz Schröder foi morto em 1944, numa batalha com o Exército soviético. A sepultura ao lado da igreja do vilarejo foi identificada há apenas três anos. Gerhard Schröder não chegou a conhecer seu pai.

Leia mais