1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Schröder não exclui alemães em tropa de paz no Oriente Médio

O chanceler federal alemão voltou a mencionar a eventual participação de soldados alemães em tropa internacional para o Oriente Médio. O presidente israelense criticou a UE por "encorajar terroristas palestinos".

default

Acampamento palestino de Jenin, onde teria ocorrido um massacre

O presidente israelense, Mosche Katzav, atacou a União Européia por sua posição no conflito do Oriente Médio. A crítica européia à atuação militar de Israel é o mesmo que encorajar os terroristas palestinos, disse Katzav ao semanário alemão Der Spiegel. Suas declarações fazem parte da edição que chega às bancas na segunda-feira (15). Em várias cidades européias, milhares de pessoas participaram de manifestações de solidariedade com a Palestina no fim de semana. Mais de 30 mil foram às ruas no sábado (13), na Alemanha.

A Europa teria "em mira o alvo errado ", disse Katzav. Em vez de pressionar Israel, os europeus deveriam deixar claro ao líder palestino Yassir Arafat: "se você não parar os atos de terror, não vamos lhe dar mais apoio e você estará sozinho". As operações militares de Israel não se voltaram contra a população civil, ressaltou o presidente. Ele rechaçou o envio de uma tropa internacional para o Oriente Médio, com participação alemã, por achar que ela não poderá deter o terrorismo.

Soldados alemães no Oriente Médio?

O chanceler federal alemão, Gerhard Schröder, tornou a aventar a possibilidade da participação de soldados alemães numa tropa internacional para o Oriente Médio, com mandato da ONU. Em princípio ele não exclui tal participação, disse o chefe de governo, na tevê alemã. No entanto, a Alemanha teria que observar a especificidade das relações com Israel, por causa de sua história. Em primeiro plano estaria uma solução política.