1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Schröder assume luta contra xenofobia na Alemanha

O ex-chanceler federal Gerhard Schröder anunciou que está tomando a frente de grupo "Mostre sua Cara!", contra a xenofobia o racismo e o anti-semitismo.

default

Xenofobia e anti-semitismo são alvos de combate do grupo

Pela primeira vez desde que deixou o governo há dez meses, o ex-chanceler federal alemão Gerhard Schröder fez uma aparição pública na segunda semana de julho, em Berlim. Ele falou, desta vez, na condição de líder da iniciativa nacional "Gesicht Zeigen!" (Mostre sua Cara!), a qual atua combatendo o racismo, xenofobia e anti-semitismo.

Uma resposta a crimes xenófobos

Em resposta a uma série de crimes violentos por extremistas de direita no início dos anos 90, o ex-porta-voz de Schröder, Uwe-Karsten Heye fundou o "Gesicht Zeigen!", em 2000. Ele foi auxiliado na tarefa por Paul Spiegel, ex-presidente do Conselho Central dos Judeus da Alemanha, falecido em abril deste ano.

Heye sempre se certificou de que programas para combater extremistas de direita fossem apoiados com auxílio do governo. "Eu acho que isso demonstra que a sociedade e seus representantes políticos têm uma clara imagem onde a intolerância deve acabar", disse Heye.

Tag der Einheit

Rau esteve no comando do grupo até sua morte, em janeiro. Schröder assumiu no seu lugar

Antes de Schröder, quem encabeçava o grupo era Johannes Rau, presidente da Alemanha durante o período em que o Schröder foi chefe de governo. A organização precisou de algum tempo após a morte de Rau, em janeiro deste ano, para se reorientar e encontrar um sucessor à altura.

"É uma grande alegria para mim poder continuar o trabalho de dois grandes democratas", declarou Schröder, referindo-se a Rau e Spiegel.

Impressões positivas da Copa do Mundo

Fußball und Rassismus

Futebol propiciou demonstrações contra o racismo

Schröder estava certo de que a Copa do Mundo daria à Alemanha a oportunidade de mostrar-se ao mundo como uma nação aberta e tolerante. "Aqueles que viajaram para o exterior durante a Copa do Mundo, como eu, perceberam que uma nova visão sobre a Alemanha se desenvolveu", comentou. "Agora é importante continuar a implementar na vida cotidiana o que se tornou visível para fora".

A visão de Heye sobre a atual situação na Alemanha é um tanto mais sóbria. "Há lugares em que pessoas de pele escura – afro-americanos e afro-europeus – não devem ir", lembrou, repetindo o alerta que fizera semanas antes da Copa do Mundo.

Heye disse achar importante falar novamente sobre as chamadas no-go areas, uma vez que ter impressão de que a questão foi ignorada desde que o furor inicial sobre o assunto arrefeceu, poucos dias antes do início da competição.

Diversidade no programa

Um dos projetos mais visíveis que o "Gesicht Zeigen!" organiza anualmente é uma semana de campanha contra o racismo. Este ano ela se realizou em março, coincidindo com o Dia Internacional das Nações Unidas para a Eliminação da Discriminação Racial.

Sophia Oppermann, a gerente da organização do trabalho, explicou que uma série de discussões bilaterais em cooperação com cinco diferentes embaixadas é um outro elemento-chave para o programa.

Ainda, um outro destaque foi o intercâmbio de quatro anos entre estrangeiros que vivem em Berlim e estudantes alemães. "Os imigrantes de Berlim foram a escolas de ensino médio ou profissionalizantes da região de Brandemburgo para conversar com os estudantes sobre tópicos específicos", disse Oppermann. "Os alunos foram então convidados para um passeio intercultural pela cidade, visitando uma mesquita, por exemplo, entre outras coisas", citou.

Leia mais