1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Schily preside conferência sobre polícia afegã

Ministro alemão do Interior discute criação de força policial no Afeganistão com representantes de 22 países. A Alemanha, que lidera o projeto, anunciou investimento de 48,3 milhões de euros nos próximos quatro anos.

default

Otto Schily, ministro alemão do Interior

Representantes de 22 países, da ONU e da União Européia reuniram-se nesta quarta-feira (19) em uma conferência em Catar para planejar a criação de uma força policial no Afeganistão.

Entre os principais objetivos do encontro, presidido pelo ministro alemão do Interior, Otto Schily, está também o combate ao cultivo da papoula e ao tráfico de drogas na região. Schily procurou ainda assegurar a cooperação entre o Afeganistão e seus seis estados fronteiriços em questões de segurança, além de garantir o envolvimento financeiro dos vizinhos.

A existência de uma polícia eficiente é uma das condições primordiais para garantir a segurança durante as primeiras eleições democráticas no país, marcadas para setembro deste ano. Até o final de junho, o número de policiais treinados chegará a 20 mil. A expectativa é de que, no final de 2005, esse número chegue a 50 mil, dos quais 12 mil serão fiscais de fronteira.

Alemanha lidera treinamento

A Alemanha lidera há dois anos a força-tarefa para criação da polícia afegã. Desde abril de 2002, quando foi inaugurado um escritório central na capital Cabul, o governo alemão já investiu 36 milhões de euros no projeto. Para este ano, foram colocados mais 12 milhões de euros à disposição.

Durante a conferência, Schily anunciou a liberação de mais 48,3 milhões de euros a serem investidos durante os próximos quatro anos. Juntamente com o representante da ONU, Jean Arnault, e ao ministro afegão do Interior, Ahmed Dschalali, Schily aprovou investimentos para diversos projetos regionais.

Após o encerramento da conferência no Catar, Schily visitará as instalações do projeto em Cabul e na cidade de Cundus para avaliar o seu andamento.

Schröder quer tropas muçulmanas no Iraque

Em visita à Bélgica, onde se encontrou com o primeiro-ministro Guy Verhofstadt, o chanceler alemão, Gerhard Schröder, afirmou que a Alemanha não tem intenção de bloquear uma missão da OTAN no Iraque, mas questionou a eficácia da medida para levar estabilidade à região.

Schröder questiona se tropas da OTAN seriam realmente mais aceitas pelos iraquianos do que as da coalizão. Segundo ele, talvez seja mais fácil que tropas de países árabes ganhem a confiança dos iraquianos.

O chanceler deixou claro que não enviará soldados ao Iraque, mesmo que uma missão da OTAN seja aprovada durante a conferência da organização, planejada para o final de junho em Istambul, na Turquia. (rr)

Leia mais