1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Sauditas prendem 431 acusados de ligação com "Estado Islâmico"

Os detidos, de maioria saudita, pertencem a uma rede que planejava uma série de atentados contra mesquitas, forças de segurança e missões diplomáticas. Entre os presos estão responsáveis por ataques em maio e junho.

A Arábia Saudita prendeu ao menos 431 pessoas acusadas de terem ligação com o "Estado Islâmico" (EI), afirmou neste sábado (18/07) o ministério do Interior do país. Os detidos pertencem a uma rede que planejava uma série de ataques contra mesquitas, forças de segurança e diplomatas.

"Planos terroristas para atingir missões diplomáticas, de segurança e do governo na província de Sharurah e o assassinato de agentes de segurança foram interrompidos", afirmou o governo saudita por meio de nota. "Seis ataques suicidas que tinham como objetivo mesquitas na província, junto com a morte de responsáveis pela segurança do país, foram frustrados."

A maioria dos detidos é de nacionalidade saudita, mas também há egípcios, iemenitas, sírios e jordanianos. Entre os presos, estão supostos responsáveis por atentados, entre os quais contra duas mesquistas xiitas que mataram 25 pessoas em maio. Em outro ataque reivindicado pelo EI, um homem-bomba saudita matou 27 pessoas em uma mesquita xiita em junho.

Extremistas do EI pediram aos seus apoiadores que realizem ataques no país, de maioria sunita, mas que também é o lar de uma grande minoria xiita. Os jihadistas planejam afastar os xiitas dos locais sagrados do islã que estão localizados na Arábia Saudita.

As prisões ocorrem dias após um carro-bomba ferir dois agentes de segurança próximo a uma prisão de segurança máxima da Arábia Saudita. Na sexta-feira à noite, uma explosão matou ao menos 120 pessoas em um mercado lotado no Iraque. Os dois ataques foram reivindicados pelo EI.

FC/afp/dpa/rtr/ap/efe/lusa

Leia mais