1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Especial

Sasha Waltz: do gesto à dança narrativa

Responsável, junto com Thomas Ostermeier, pelo “revival” do lendário Schaubühne, em Berlim, a coreógrafa Sasha Waltz representa uma vertente mais gestual do teatro-dança alemão.

default

Sasha Waltz, em Berlim


Nas coreografias de Sasha Waltz, as formas pretendem ser muito mais que simples acessórios da narração. Ao invés de ilustrar com passos e figuras uma história alheia, a coreógrafa faz com que os cenários contem suas próprias histórias, partindo do corpo e dos movimentos que se desenvolvem a partir dele. Sem medo, ela rompe com regras e preconceitos estabelecidos na jovem tradição do teatro-dança alemão.

De estrela off a representante do gênero

Nascida em 1963 em Karlsruhe, Sasha Waltz iniciou sua carreira de dança como aluna de Mary Wigman. Aos 20 anos, mudou-se para Amsterdã, onde freqüentou a Scholl for New Dance Development. Pouco depois, seguiu para Nova York, onde passou um ano. Em 1993, recebeu uma bolsa concedida a artistas pela Künstlerhaus Bethanien, em Berlim. Foi então que fundou a companhia Sasha Waltz & Guests, junto com Jochen Sandig, dramaturgo e futuro pai de seu filho.

A coreógrafa passou rapidamente de estrela off do teatro-dança ao posto de uma das grandes representantes do gênero. Suas coreografias associam atuação política e ação corporal, criando referências à realidade social, às limitações pequeno-burguesas e centrando a atenção em assuntos como a violência física e psíquica, a sexualidade frustrada e a disputa entre os sexos.

Graças à sua forma de compreender a dança – como algo que vai além da mera forma e narra histórias que implicam questões essenciais para o ser humano – Sasha Waltz consegue inovar a linguagem corporal no palco. Ela cria coreografias belíssimas e extremamente inquietantes. Partindo muitas vezes de movimentos cotidianos, que, estilizados e colocados em outro contexto, adquirem novos significados.

Schaubühne: experiência extraordinária

Berliner Schaubühne 40 Jahre

Schaubühne, em Berlim

Em 1999, Sasha Waltz assumiu, ao lado de Thomas Ostermeier, Jens Hillje e Jochen Sandig, a direção artística do lendário teatro Schaubühne am Lehniner Platz, em Berlim. Fundado em 1962 como instituição privada, cuja programação era ligada à resistência política, este teatro teve sua época de ouro entre 1970 e 1985, quando, sob a direção de Peter Stein, se tornou conhecido internacionalmente.

Stein e um grupo de jovens dramaturgos quiseram, através do trabalho coletivo, criar uma alternativa ao sistema estatal reinante na Alemanha. Com o tempo, o Schaubühne desenvolveu um estilo próprio, caracterizado pela fidelidade ao texto, bem como pelo direito de voto de todos os funcionários na concepção da programação. Nascia ali um espaço extraordinário, aberto à discussão e à análise da sociedade alemã da época.

Desde que Waltz e Ostermeier assumiram a direção artística do teatro, foi possível resgatar um pouco dessa atmosfera inconoclasta e provocadora que havia sido a marca registrada do Schaubühne durante tantos anos. Os dois novos diretores quiseram fazer teatro contemporâneo no sentido mais amplo da palavra: um teatro que falasse dos conflitos essenciais do momento.

Clique ao lado para continuar a ler.

Leia mais