Sarkozy quer cortar número de imigrantes na França pela metade | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 07.03.2012
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Sarkozy quer cortar número de imigrantes na França pela metade

Às vésperas do primeiro turno das eleições e atrás do socialista François Hollande nas pesquisas, presidente francês – filho de um húngaro – é acusado de tender mais à direita em busca de votos.

Em plena campanha para reeleição, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, disse nesta terça-feira (06/03) durante um debate na televisão que o país já tem muitos estrangeiros. E prometeu, num eventual segundo mandato, reduzir à metade o número de novos imigrantes.

"Nosso sistema de integração está funcionando de maneira cada vez pior, porque temos muitos estrangeiros em nosso território e não conseguimos arrumar casa, emprego, escola para todo o mundo", declarou Sarkozy, que completa cinco anos à frente do governo da França.

Segundo o político populista de direita, o número de imigrantes que desembarcam em solo francês precisa cair dos atuais 180 mil por ano para apenas 100 mil, para que se possa "recomeçar o processo de integração em boas condições". E só terão acesso a serviços sociais os que já morarem há pelo menos dez anos dos país e tiverem trabalhado durante cinco anos.

A poucas semanas do primeiro turno das eleições presidenciais, marcado para 22 de abril, Sarkozy vem sendo acusado de tender mais para a direita, a fim de cooptar os votos que seriam dados à candidata anti-imigração, Marine Le Pen.

Frankreich Wahl Wahlen Francois Hollande Sozialisten

François Hollande aparece à frente de Sarkozy nas pesquisas

Durante uma entrevista dada a um canal de televisão, porém, Sarkozy – cujo pai é húngaro – afirmou que a imigração poderia continuar beneficiando a França em vários setores, mas que no futuro deveria haver um controle mais rígido para os que desejarem morar no país.

Atrás nas pesquisas

O candidato socialista François Hollande, forte concorrente de Sarkozy nas eleições, criticou as declarações do presidente francês e disse ser "tolo" seguir por esta linha. Segundo pesquisas de opinião recentes, Hollande está alguns passos à frente do candidato do governo na corrida presidencial, com 30% das intenções de voto. Sarkozy aparece com 28% e Le Pen com 15%.

De acordo com o levantamento, num segundo turno Sarkozy amargaria uma derrota, com 46% dos votos válidos contra 54% para Hollande.

"Os próprios franceses precisam julgar se os protegi bem da crise, se diante dos acontecimentos que sacudiram o mundo, a Europa e a França, eu fiz o meu trabalho bem ou mal", comentou Sarkozy durante a entrevista.

MSB/afp/rtr/dw/dpa
Revisão: Augusto Valente

Leia mais