Samsung interrompe produção de Galaxy Note 7 | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 10.10.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Samsung interrompe produção de Galaxy Note 7

Gigante do setor de smartphones sofre novo revés com mais relatos de incêndios em aparelhos Galaxy Note 7. Modelo já havia sido alvo de recall por risco de pegar fogo.

A Samsung interrompeu a produção do smartphone Galaxy Note 7, após novos relatos de incêndios em aparelhos distribuídos para substituir modelos que já haviam apresentado o problema, confirmou nesta segunda-feira (10/10) um fornecedor à agência de notícias sul-coreana Yonhap.

O fornecedor da Coreia do sul afirmou que a paralisação temporária da fabricação do smartphone foi decidida em cooperação com órgãos reguladores da Coreia do Sul, dos EUA e da China. A medida se aplica a uma fábrica da Samsung no Vietnã, que é responsável pelas remessas globais do Galaxy Note 7.

A pausa na produção vem após oito novos casos de incêndio em aparelhos fornecidos a consumidores na Coreia do Sul, nos EUA e em Taiwan para substituir unidades com risco de pegar fogo. Acredita-se que a decisão vá afetar as vendas dos novos modelos Note 7 na Índia e na Europa, que seriam retomadas no próximo dia 28 de outubro.

A Samsung ainda não se pronunciou a respeito, mas reconheceu estar "ajustando a produção" do Galaxy Note 7 depois de grandes distribuidores pararem de oferecer trocas por temores em relação à segurança do aparelho.

Duro golpe

O Galaxy Note 7 chegou ao mercado no dia 19 de agosto. Poucos dias depois, no início de setembro, a Samsung anunciou um recall mundial  do smartphone após relatos de consumidores de que aparelhos pegaram fogo ou explodiram durante a recarga da bateria. Cerca de 2,5 milhões de unidades já haviam sido vendidas. A maior inovação do Galaxy Note 7 é o fato de ser á prova d'água.

Após os novos casos de incêndio, operadoras de telefonia dos EUA e da Austrália suspenderam as vendas ou trocas do Note 7. Companhias aéreas reiteraram a proibição de uso de celulares por passageiros após um aparelho que já havia sido substituído por um novo liberar fumaça e forçar a evacuação de um avião nos Estados Unidos na semana passada.

Os incêndios em telefones que deveriam substituir aparelhos defeituosos podem ser um duro golpe para a Samsung, a maior fabricante de smartphones do mundo, sugerindo que a companhia sul-coreana não conseguiu resolver um problema que já havia afetado sua imagem.

LPF/efe/rtr/ap

Leia mais