1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Saiba quem é o suspeito de arquitetar os ataques em Paris

O belga Abdelhamid Abaaoud, de 27 anos, morto pela polícia francesa, já havia sido condenado à revelia por recrutar combatentes para o "Estado Islâmico". Segundo autoridades, ele é o "cérebro" por trás dos ataques

Um cidadão belga é apontando como o principal suspeito de ter planejado a série de ataques terroristas em Paris, que deixaram 129 mortos e mais de 350 feridos na última sexta-feira (13/11).

De acordo com fontes ouvidas pelas agências Reuters e AFP, trata-se de Abdelhamid Abaaoud, de 27 anos, que ingressou nas fileiras do Estado Islâmico na guerra civil que assola a Síria em 2013, sob o nome de Abu Omar al-Baljiki. Abaaoud foi abatido pela polícia francesa na quarta-feira (18/11) em uma operação em Saint-Denis, na grande Paris. Até os atentados na cidade, o EI parecia indicar que ele estava na Síria.

Com ascendência marroquina e nascido em Moleenbeck, na região metropolitana de Bruxelas, Abaaoud era um velho conhecido da imprensa belga. Em 2014, ele foi tema de diversas reportagens locais ao recrutar seu irmão caçula, de 13 anos, para se juntar ao EI na Síria.

O caso provocou comoção no país, que apelidou o adolescente de "o mais jovem jihadista na Síria". Em julho, Abaaoud foi julgado por uma corte belga e condenado à revelia a 20 anos de prisão por recrutar combatentes para as fileiras do EI.

Ele também apareceu recentemente em um vídeo divulgado pelo EI conduzindo uma picape que carregava quatro corpos mutilados em uma área dominada pelo grupo.

Em fevereiro de 2015, a revista Dabiq, um dos veículos de comunicação do EI, publicou uma extensa entrevista com Abaaoud na qual ele declarou ter planejado ataques na Bélgica. Em um vídeo divulgado em 2014, Abaaoud declarou: "por toda a minha vida eu vi o sangue dos muçulmanos ser derramado. Eu rezo para que Alá destrua e extermine todos que se oponham a ele".

Em janeiro deste ano, Abaaoud já havia sido apontado por autoridades belgas como um dos chefes da célula terrorista de Verviers (leste da Bélgica) que foi desbarata em uma operação policial. Na ocasião, dois suspeitos foram mortos.

De acordo com a revista francesa Le Nouvel Observateur, a polícia francesa já conhecia Abaaoud. O nome ele apareceu em diversas investigações. Em agosto deste ano, um homem identificado como Reda H. foi preso pela polícia do país após voltar da Síria. Em depoimento, ele contou que havia recebido a missão de atacar uma casa de concertos na França e apontou que o plano fora arquitetado por Abaaoud.

Ainda segundo a imprensa francesa, o nome de Abaaoud apareceu nas investigações de outros atentados frustrados, como o de um ataque a uma igreja de Villejuif em abril – na ocasião, um terrorista argelino que planejava chacinar membros de uma congregação matou uma mulher, mas não conseguiu seguir com o ataque após atirar acidentalmente no próprio pé.

Autoridades afirmaram que Abaaoud foi também citado na investigações do ataque, em agosto, ao trem de alta velocidade Thalys, que fazia a rota Amsterdã-Paris. O ataque foi impedido por um grupo de passageiros que dominou um terrorista armado com um fuzil.

O Le Nouvel Observateur cita ainda que Abaaoud manteve contato com Mehdi Nemmouche, o atirador do Museu Judaico em Bruxelas, em maio do ano passado e que ele conhecia pessoalmente um dos irmãos Abdeslam, que são suspeitos de participação nos ataques em Paris.

JPS/ots

Leia mais