1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Saiba como prisioneiros são executados na Indonésia

Pelotão de fuzilamento com 12 integrantes executa condenados à morte, que escolhem ficar de pé, sentar ou ajoelhar e ter ou não olhos vendados. Atiradores são escolhidos com base na pontaria e na saúde física e mental.

A Indonésia executou nas primeiras horas desta quarta-feira (29/04) um grupo de oito condenados à morte por tráfico de drogas, entre eles

o brasileiro Rodrigo Gularte

.

Na Indonésia, prisioneiros condenados à morte são executados por um pelotão de fuzilamento, recrutado de uma unidade especial da polícia nacional. Os recrutados são escolhidos com base na pontaria e na saúde física e mental. Eles recebem aconselhamento antes e depois das execuções.

Os prisioneiros que aguardam no corredor da morte são transferidos para celas isoladas 72 horas antes da execução. Familiares e religiosos podem visitá-los até algumas horas antes. Nesta terça-feira,

parentes de dois australianos e de uma filipina condenados à morte os visitaram

na prisão de segurança máxima da ilha de Nusakambangan.

Para a execução, os prisioneiros podem escolher ficar de pé, sentar ou ajoelhar diante do pelotão de fuzilamento. Eles também decidem se querem ou não ter os olhos vendados. As mãos e pés são amarrados.

Doze atiradores apontam rifles contra o peito de cada condenado. Somente três deles têm munição em suas armas, de modo que não seja possível identificar o executor.

Médicos aguardam no local para confirmar a morte dos prisioneiros. Depois de limpos, os corpos são entregues às famílias dos condenados, as quais aguardam do lado de fora da penitenciária durante a execução.

LPF/rtr

Leia mais