Söhne Mannheims reconquistam as paradas | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 14.07.2004
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Söhne Mannheims reconquistam as paradas

Dois anos eles ficaram sem atuar juntos, tendo voltado a se formar alguns meses atrás: os 14 músicos da banda Söhne Mannheims, os Filhos de Mannheim, como se chamam em homenagem à cidade de que são procedentes.

default

NOIZ 2004, da banda Söhne Mannheims

Agrupada em torno do vocalista Xavier Naidoo, que faz sucesso também em sua carreira como solista, a banda conquistou um disco de platina, quatro anos atrás, com seu primeiro álbum, Zion (nome alemão do Monte Sião em Jerusalém), que vendeu 500 mil cópias.

O título do novo disco remete à aquele primeiro: Noiz é Zion ao contrário. Mas ele contém também outra alusão: o ritmo das músicas é mais rápido, o som da guitarra se impõe mais, enfim, é uma música mais barulhenta — noise, em inglês, quer dizer barulho.

Vielleicht (Talvez), o primeiro single do álbum, trata de um tema tabu: o suicídio. O clip mostra três jovens aparentemente mortos, que ao final redespertam para a vida, como num milagre. Naidoo: "Acredito em milagres, pois de vez em quando vivencio algum."

Der Mannheimer Soulsänger Xavier Naidoo

Xavier Naidoo

Num ponto os Filhos de Mannheim continuam os mesmos: o sentimento religioso perpassa também os textos do novo disco, às vezes de difícil compreensão. Continua também o engajamento em prol da juventude de sua cidade: parte das receitas de suas atuações é encaminhada para o financiamento de projetos sociais regionais e, também, para a Pop Akademie, a primeira faculdade de música pop da Alemanha.

Apesar dos textos sérios e da religiosidade em suas canções, o filho de mãe sul-africana e pai alemão de origem hindu pretende, em primeira linha, entreter. Xavier Naidoo é a estrela pop alemã de maior sucesso dos últimos anos.

Seus álbuns Nicht von dieser Welt (1998) e Zwischenspiel (2002) venderam mais de dois milhões de cópias. Em 2004, o cantor "congelou" a carreira solo para se dedicar aos amigos da banda Söhne Mannheims.