Rio de Janeiro se prepara para conferência da ONU em 2012 | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 08.03.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Rio de Janeiro se prepara para conferência da ONU em 2012

"Economia verde, desenvolvimento sustentável e erradicação da pobreza" são temas de conferência das Nações Unidas em 2012: 20 anos após a ECO 92, Rio é palco de discussões sobre o meio ambiente, sob o signo da segurança.

default

Stelio Marcos Amarante, Sha Zukang, Luiz Alberto Figueiredo Machado e Laudemar Aguiar em NY

A comissão preparatória da Rio 2012 se reuniu durante dois dias em Nova York para discutir o planejamento da conferência das Nações Unidas que terá como tema: "Economia verde, desenvolvimento sustentável e erradicação da pobreza". O evento está confirmado para acontecer de 4 a 6 junho de 2012, no Rio de Janeiro. A conferência vai marcar os 20 anos da Eco 92, que também ficou conhecida como Cúpula da Terra ou Rio 92.

De acordo com o embaixador Luiz Alberto Figueiredo Machado, diretor-geral do Departamento de Meio Ambiente do Ministério das Relações Exteriores, "o grande desafio é resgatar tudo que foi feito na ECO 92, reafirmar o engajamento com essa agenda e termos uma visão de futuro cada vez mais integradora dos três pilares do desenvolvimento sustentável: a união do social, do econômico e da natureza".

Sha Zukang, subsecretário-geral do Departamento Econômico e Social da ONU, acredita que a Rio +20 será uma grande oportunidade para discutir sobre o que há de mais urgente no planeta: as crises energética, alimentar, financeira e a recessão global. Ele disse ter a expectativa de que, durante o evento do Rio de Janeiro, o mundo pare para pensar e repensar suas estratégias para o desenvolvimento de políticas inteligentes para promover mais empregos, criar alternativas energéticas limpas e, acima de tudo, garantir a preservação dos bens naturais do mundo. "Um dos grandes desafios para a gente é fazer com que todos os países consigam pensar de forma semelhante, pois cada nação tem suas prioridades e desafios. Mas num momento de união é necessário pensar igual em prol do planeta", concluiu Zukang.

Rio +20: surpresas

Luiz Alberto Figueiredo Machado

Embaixador Luiz Alberto Figueiredo Machado aposta no Brasil 'verde'

"O evento também será verde e mostrará como é possível criar novas ações sustentáveis", declarou o embaixador Machado. Durante os dias do evento, a cidade deve demonstrar a participantes do mundo inteiro iniciativas realizadas no Brasil que possam virar exemplo. Porém, quando questionado pela Deutsche Welle sobre esses exemplos, ele disse que serão surpresa e mostrados mais à diante. De imediato, comentou apenas que, sendo o país quase todo abastecido por energia hidráulica, e o biocombustível abastecendo uma grande frota de automóveis, já é possível notar que o Brasil é "verde".

Durante os próximos 14 meses, transcorrerão reuniões para decidir os detalhes dos três dias da conferência mundial. Dentre as prioridades, está promover dezenas de eventos diferentes, por toda a cidade, para engajar a população e conseguir visões e expressões de diversas classes sociais e profissionais.

Desafio

A Rio +20 pretende superar as últimas COP – a 15 (Copenhague) e 16 (Cancún) –, que tiveram poucos resultados na prática. Quando questionado se não há um certo medo de sediar um evento sem algum sucesso, o embaixador mostrou-se confiante e otimista. "Nós queremos que a Rio 2012 seja muito mais ampla que qualquer COP, onde é discutido basicamente clima. Vamos olhar e repensar o desenvolvimento como um todo. Queremos ir muito além e somos mais ambiciosos. Temos certeza que o Rio e o Brasil responderão a esse desfio e realizaremos uma conferência extraordinária."

Local e segurança

A equipe organizadora divulgou que a intenção é realizar o evento em oito armazéns portuários do Rio de Janeiro, no Pier Mauá, localizado próximo ao Aeroporto Santos Dumont, mesmo local que abrigou o Fórum Urbano Mundial, em 2010. Wanderley Mariz, subsecretário de relações internacionais da prefeitura do Rio de Janeiro, disse à Deutsche Welle que acredita que as Nações Unidas aprovarão o local, devido "ao sucesso que foi o Fórum Urbano Mundial". Segundo ele, serão feitas inspeções no local para confirmar a capacidade e devida segurança.

Espera-se que 50 mil pessoas do mundo inteiro venham a participar do evento. Para a equipe organizadora, um número pequeno, se comparado aos das festas que a Cidade Maravilhosa está acostumada a sediar. "No reveillon, tivemos 1 milhão de pessoas nas ruas, agora no carnaval 850 mil, e não vimos nada de muito grave acontecer", disse o embaixador Stelio Amarante, coordenador de Relações Internacionais da prefeitura do Rio, acrescentando que o local dos armazéns é rodeado pelos morros da Providência e da Conceição, assim como pelo Complexo de São Carlos – todas áreas pacificadas, segundo ele.

De acordo com a comissão organizadora, a Rio 92 ficou famosa pela segurança, e a intenção é repetir esse êxito, 20 anos depois.

Autoria: Cleide Klock
Revisão: Augusto Valente