Ricardo Teixeira renuncia à presidência da CBF e do comitê da Copa | Leia as principais notícias sobre o futebol internacional | DW | 12.03.2012
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Futebol

Ricardo Teixeira renuncia à presidência da CBF e do comitê da Copa

Dirigente, que é acusado de corrupção, deixa a presidência da principal instituição do futebol brasileiro alegando motivos de saúde. Ele será substituído por José Maria Marin.

O empresário Ricardo Teixeira, de 64 anos, renunciou nesta segunda-feira (12/03) à presidência da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), entidade que comandava desde 1989. Ele também deixou o cargo de presidente do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2014.

Ele será substituído nos dois cargos por José Maria Marin, um dos cinco vice-presidentes da CBF. Numa carta lida para a imprensa no Rio de Janeiro por Marin, Teixeira afirma que abandona definitivamente a CBF para cuidar da saúde e que vai com a "sensação do dever cumprido".

"Presidir paixões não é uma tarefa fácil. Futebol em nosso país é associado a talento e desorganização. Quando ganhamos, era graças ao talento, quando perdemos, imperava a desorganização. Fiz o que estava ao meu alcance, sacrificando a saúde e renunciando ao insubstituível convívio familiar. Fui criticado nas derrotas e subvalorizado nas vitórias", completou Teixeira, que enfrenta inúmeras denúncias de corrupção.

Marin assegurou que a saída de Teixeira não mudará nada nas diretrizes do futebol brasileiro nem no trabalho do COL, que tem à sua frente dois ex-jogadores, Ronaldo e Bebeto. Ao falar sobre sua nova tarefa no COL, Marin cometeu um lapso e disse estar satisfeito com a oportunidade de poder trabalhar ao lado de um grande ex-jogador, Romário.

Romário é deputado federal e um dos principais críticos da CBF e de Ricardo Teixeira. Marin logo se corrigiu e disse que falava de Ronaldo.

AS/dpa/rtr
Revisão: Francis França

Leia mais