1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ciência e Saúde

Resultado de exame de ebola no Brasil dá negativo

Paciente, no entanto, só sairá do isolamento após a realização de um segundo exame. Amostra de sangue para novo teste será colhida no domingo. Estado de saúde do guineense é bom e sem febre.

default

Guineense chegou ao Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, no Rio, na sexta-feira.

O primeiro exame realizado no paciente internado no Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, no Rio de Janeiro, para diagnosticar o caso suspeito de ebola deu negativo, informou o Ministério da Saúde neste sábado (11/10).

No entanto, a confirmação de que o guineense Souleymane Bah, de 47 anos, não está com ebola só deve ocorrer após a realização de um segundo exame. A amostra de sangue será coletada neste domingo, 48 horas após a primeira coleta. O paciente permanece no isolamento até o resultado deste teste.

"Se o caso também for descartado como ebola no segundo exame, o paciente saíra do isolamento e o sistema de vigilância dos contactantes será desmontado", divulgou o ministério em nota.

Atualmente, 64 pessoas que podem ter entrado em contato com Bah estão sendo monitoradas. O ministério informou também que o estado de saúde do guineense é bom e ele não apresenta febre.

Chances mínimas

Durante uma coletiva de imprensa realizada nesta sexta-feira, em Brasília, o ministro da Saúde, Arthur Chioro, já havia dito que as chances de o caso suspeito de ebola se confirmar eram pequenas.

"Ainda que a probabilidade seja muito pequena, o caso é suspeito. Nós seriamos irresponsáveis se não tratássemos com total rigor um caso suspeito de ebola", disse Chioro.

O caso suspeito foi notificado na quinta-feira em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Cascavel, no Paraná. Bah saiu de Guiné no dia 18 de setembro, fez escala no Marrocos e chegou ao Brasil um dia depois. Como procurou a UPA com febre e por ter vindo de um país com surto do vírus, o caso foi classificado como suspeito.

Leia mais