Restauração de casas históricas de madeira é prioridade em Istambul | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 11.08.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Restauração de casas históricas de madeira é prioridade em Istambul

Projeto de restauração de casas de madeira do centro histórico de Istambul é cartão de visita da cidade, escolhida pelo Conselho da União Europeia para ser Capital Europeia da Cultura em 2010.

default

Palácio Ahmet Pasa

Além de Essen, na Alemanha, e Pécs, na Hungria, a cidade turca de Istambul será uma das capitais europeias da cultura em 2010. Desde 1985, o centro histórico da cidade às margens do Bósforo é Patrimônio Mundial da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).

Nos últimos anos, no entanto, a Unesco tem ameaçado, frequentemente, retirar o centro histórico da lista de Patrimônios Mundiais. A organização reclama que muitos dos cerca de 200 edifícios históricos no entorno da esplêndida Mesquita de Süleymaniye foram demolidos.

Há décadas que o escritório do Instituto Arqueológico Alemão em Istambul vem fazendo o inventário das casas de madeira de Istambul. O seu trabalho serviu de base para a restauração do Palácio Ahmet Pasa, há 30 anos.

Istanbuls Holzbauten

Palácio Ahmet Pasa antes da restauração

Casas deterioradas de madeira

O Palácio Ahmet Pasa, do século 19, é uma das mais pomposas construções de madeira em estilo otomano da parte histórica de Istambul. Há cerca de um ano o local abriga uma espécie de centro de excelência para a restauração das antigas casas de madeira – chamado de "kudeb".

O órgão é financiado exclusivamente pela prefeitura de Istambul e trabalha juntamente com a Unesco, apoiando os bairros de Süleymaniye e Zeyrek.

Até agora, o "kudeb" conseguiu salvar somente seis casas. Até 2010, esse número deverá girar em torno de 30. Trata-se do cartão de visita que Istambul deverá mostrar como Capital Europeia da Cultura, no próximo ano.

A engenheira civil Demet Sürücü trabalha no "kudeb" formando jovens restauradores que têm que aprender o ofício quase esquecido da marcenaria otomana – como, por exemplo, como se talha um kafes , uma janela arqueada de madeira que se projeta para fora do edifício. Sürücü confirmou que o número de restaurações ainda é muito pequeno em vista do que sobrou dos antigos edifícios.

Istanbuls Holzbauten

Casas resistem a terremotos

Fotos para a posteridade

O arquiteto Ali Kurultay comprou há seis anos uma casa deteriorada de madeira na rua Ayranci. A restauração do prédio durou dois anos, outros dois anos foram necessários para providenciar as licenças necessárias.

"Nós construímos uma estrutura interna que assumia todas as cargas do edifício. Somente a parte dianteira da casa pôde ser preservada", explicou o arquiteto.

A casa foi construída provavelmente entre o final do século 19 e o início do século 20. Ela está inclinada, mas resistiu aos terremotos que repetidamente abalaram a cidade. A estrutura maleável de madeira funciona como um seguro de vida, brincou Kurultay. Ele lamenta o fato de muitas casas do bairro terem sido derrubadas. "O significado da expressão patrimônio histórico ainda não chegou por aqui. Falta uma atitude", disse.

Muitos lamentam a destruição da antiga Istambul – também o famoso fotógrafo Ara Güler. Seu museu particular abriga fotos dos anos de 1940 e 1950. Casas de madeira podem ser vistas em muitas dessas fotos. Ele afirmou não conseguir entender por que edifícios de 35 andares são construídos numa cidade ameaçada por abalos sísmicos como Istambul.

"A antiga Istambul sumiu, a cidade perdeu seu charme", reclamou o fotógrafo, que vê como sua tarefa a documentação das mudanças da cidade para as próximas gerações.

Autora: Claudia Hennen

Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais