1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Reino Unido vai às urnas em eleição acirrada

Pesquisas de opinião apontam disputa apertada entre o Partido Conservador, de David Cameron, e o rival Trabalhista, de Ed Miliband, mas nenhum deles deve obter maioria.

Eleitores do Reino Unido começaram a votar na manhã desta quinta-feira (07/05) na eleição parlamentar de resultado mais imprevisível das últimas décadas no país. O pleito pode deixar a quinta maior economia do mundo um passo mais perto de deixar a União Europeia (UE) e fortalecer sentimentos nacionalistas na Escócia.

De sete pesquisas de opinião divulgadas na véspera do pleito, três mostraram os dois principais partidos – Conservador e Trabalhista – empatados. Outras três colocaram os conservadores à frente por apenas um ponto percentual, e uma deu aos trabalhistas dois pontos percentuais de vantagem.

Uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira pelo instituto Populus indicou um empate entre os dois partidos, com 33% das intenções de voto cada.

Diante do clima tenso, o jornal britânico The Times trouxe na capa da edição desta quinta-feira a manchete "Dia do Juízo Final", chamando o pleito de "a eleição mais importante para uma geração".

Großbritannien Wahlkampf 2015 Ed Milliband

Miliband quer aumentar impostos de ricos

Tanto o líder do Partido Conservador, o primeiro-ministro David Cameron, quanto o líder do rival Partido Trabalhista, Ed Miliband, insistem que conseguirão uma clara maioria dos 650 assentos do Parlamento. Mas, de acordo com as pesquisas, é provável que eles tenham que negociar com partidos menores para formar um governo.

"Esta disputa será a mais acirrada que já vimos", disse Miliband a simpatizantes na véspera da votação. Já Cameron afirmou que apenas o seu partido é capaz de oferecer um governo forte e estável. "Todas as outras opções resultarão em caos", declarou o premiê.

As urnas abriram às 7h (hora de Londres, 3h em Brasília) para os 48 milhões de eleitores do país e fecham às 22h. Uma pesquisa de boca de urna deve ser publicada a seguir, e os resultados oficiais estão previstos para as primeiras horas desta sexta-feira.

Conservadores e trabalhistas

O Partido Conservador promete empregos e recuperação econômica e anunciou uma redução do imposto de renda para 30 milhões de pessoas. Se vencer, Cameron também prometeu um referendo sobre a permanência ou não do Reino Unido na UE para 2017.

Großbritannien Wahlkampf 2015 David Cameron

Cameron prometeu referendo sobre permanência do Reino Unido na UE

O Partido Trabalhista, por sua vez, afirma que aumentará o imposto de renda para o 1% que ganha mais no país e que defenderá os interesses das famílias trabalhadoras e o financeiramente abalado Serviço Nacional de Saúde.

Se nenhum dos dois partidos conseguir maioria no pleito, as negociações com outras legendas deverão começar já nesta sexta-feira. O resultado pode ser uma coalizão – como a que Cameron vem liderando nos últimos cinco anos, com o Partido Liberal Democrata – ou um frágil governo minoritário, obrigado a fazer acordos para conseguir apoio em questões-chave.

O Partido Nacional Escocês (SNP), a favor da independência da Escócia, disse que apoiará um governo minoritário do Partido Trabalhista, mas não do Conservador. Já os liberais-democratas, atuais parceiros de Cameron, dizem estar abertos para trabalhar com qualquer um dos dois grandes partidos.

O SNP deve conquistar a maioria das cadeiras reservadas à Escócia no Parlamento britânico, às custas principalmente dos trabalhistas.

O eurocético e populista de direita Partido da Independência do Reino Unido (Ukip) deve conquistar um número limitado de assentos e, por isso, desempenhar um papel pequeno nas negociações pós-eleição.

O novo governo, liderado por Cameron ou por Miliband, enfrentará o primeiro grande desafio no próximo dia 27 de maio, quando parlamentares votarão o programa legislativo, após o tradicional discurso da rainha Elizabeth 2ª.

LPF/rtr/afp

Leia mais