Reino Unido eleva alerta de terrorismo devido ao ″Estado Islâmico″ | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 29.08.2014
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Reino Unido eleva alerta de terrorismo devido ao "Estado Islâmico"

País considera "bastante provável" a ocorrência de um atentado em seu território e aumenta medidas de segurança ao segundo nível mais elevado, o que não acontecia desde julho de 2011.

O Reino Unido elevou nesta sexta-feira (29/08) o nível de alerta de ameaça terrorista em seu território para "severo", o segundo patamar mais alto.

A decisão é uma resposta a possíveis ataques planejados na Síria e no Iraque, onde atua o grupo extremista "Estado Islâmico". A ameaça de atentados não era tão alta no Reino Unido desde julho de 2011.

"Isso significa que um ataque terrorista é bastante provável, mas não há dados de inteligência que sugiram um ataque iminente", disse em comunicado a secretária do Interior britânica, Theresa May.

Em entrevista coletiva, o primeiro-ministro David Cameron anunciou que haverá uma nova lei para dificultar que cidadãos britânicos viagem à Síria e ao Iraque com o fim de se juntar a facções extremistas.

Segundo Cameron, pelo menos 500 pessoas deixaram o Reino Unido para aderir a grupos radicais na Síria e no Iraque. Detalhes sobre controle de viagem e confisco de passaportes serão anunciados no Parlamento na próxima segunda-feira.

"O Reino Unido é uma nação aberta, tolerante e livre", afirmou o premiê. "Mas tolerância não pode ser confundida com extremismo." O temor é que os cidadãos britânicos que deixem o país rumo a Iraque e Síria voltem treinados para cometer atos terroristas na Europa.

A decapitação do repórter americano James Foley pelo "Estado Islâmico", há duas semanas, levou o Reino Unido a adotar medidas adicionais de segurança. O algoz do jornalista foi identificado com um cidadão britânico.

RPR/ ap/ rtr/ dpa

Leia mais