1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Reino Unido e Holanda dão a largada nas eleições europeias

Nos dois países, pesquisas indicam bons resultados para partidos extremistas e antieuropeus. Demais 26 Estados-membros da UE vão às urnas entre sexta e domingo para eleger novo Parlamento Europeu.

Os cidadãos holandeses e britânicos começaram nesta quinta-feira (22/05) a votar nas eleições europeias, que vão escolher os 751 deputados do Parlamento Europeu para os próximos cinco anos. As urnas abriram às 7h30 na Holanda (horário local) e meia hora depois no Reino Unido. As eleições transcorrem até domingo nos 28 países da União Europeia (UE).

Depois da abertura das urnas na Holanda e no Reino Unido, a votação continua na Irlanda (sexta-feira); República Tcheca (sexta-feira e sábado); Letônia, Malta e Eslováquia (sábado); e nos 21 países restantes no domingo. No Reino Unido, há grande expectativa sobre a votação do partido UK Independence Party (Ukip), que é contra a União Europeia e contra a imigração. Na Holanda, as atenções voltam-se para o partido anti-islâmico PVV, de Geert Wilders. Ambos devem alcançar boas votações, segundo pesquisas.

Os 751 eurodeputados a serem eleitos representarão cerca de 500 milhões de cidadãos da UE na próxima legislatura, mas muitas sondagens apontam para uma alta da taxa de abstenção, já habitualmente elevada nas eleições europeias. Em 2009, a participação foi de apenas 43%. Pesquisas indicam que os partidos eurocéticos podem conquistar até cem cadeiras no Parlamento.

Este ano, as principais forças políticas apresentaram também candidatos ao cargo de presidente da Comissão Europeia, com base nas novas regras do Tratado de Lisboa, que entrou em vigor em dezembro de 2009. Porém, a "eleição" do futuro presidente do executivo não é um processo tão simples.

Apesar de o Tratado de Lisboa prever que a posição do Parlamento Europeu seja levada em conta, o Conselho Europeu – que reúne os chefes de Estado e de governo e a quem continua a pertencer o direito de nomear o presidente da Comissão Europeia – não é legalmente forçado a optar pelo candidato do partido político europeu que recolher mais votos.

Os dois principais candidatos a presidente da Comissão Europeia são o luxemburguês Jean-Claude Juncker, pelo Partido Popular Europeu, e o alemão Martin Schulz, pelos Socialistas Europeus.

AS/lusa/afp