Reino Unido começa processo de saída da UE | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 29.03.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Reino Unido começa processo de saída da UE

Theresa May invoca Artigo 50 do Tratado de Lisboa e oficialmente dá início às negociações do Brexit. Previsão é de que complicado processo seja concluído dentro de dois anos.

EU Großbritannien Brexit Brief Botschafter Barrow mit Tusk (Getty Images/AFP/Y. Herman)

Gesto histórico: carta é entregue por embaixador britânico ao presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk (dir.)

O governo britânico entregou nesta quarta-feira (29/03) a Bruxelas a carta, assinada na véspera pela primeira-ministra Theresa May, com a qual o Reino Unido solicita formalmente sua saída da União Europeia (UE), depois de 44 anos como membro do bloco.

A carta, na qual é invocado o Artigo 50 do Tratado de Lisboa – que estabelece o início das negociações sobre a saída do bloco comunitário – foi entregue ao presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk. O dispositivo previsto no tratado europeu determina que as duas partes têm dois anos para chegar a um acordo sobre os termos da separação, que poderá ter implicações políticas, jurídicas, econômicas e financeiras. 

No documento de seis páginas, a premiê britânica ofereceu uma declaração educada e conciliatória, salientando que os britânicos querem permanecer "parceiros e aliados comprometidos" da União Europeia.

England Theresa May unterschreibt Brexit-Antrag (REUTERS/C. Furlong)

Primeira-ministra britânica, Theresa May, assina carta que dá início às negociações de saída do Reino Unido da UE

"Devemos nos engajar de forma construtiva e respeitosa, num espírito de cooperação sincera", afirma May no texto. "É do maior interesse tanto do Reino Unido como da União Europeia que devemos usar o processo para cumprir esses objetivos de maneira justa e ordenada e com o mínimo de perturbação possível para cada lado."

Classificando o desafio de separação como "momentâneo", May pleiteou na carta que o Reino Unido e a UE "trabalhem duro" para evitar fracassos nas negociações do Brexit. Ela também pediu que as negociações sobre a saída e futuros laços comerciais fossem elaborados ao mesmo tempo.  

Bruxelas, porém, já havia indicado que a nova relação comercial só seria discutida após o acordo definitivo do Brexit. Por fim, a líder democrata desejou que a Europa permaneça "forte e próspera" e capaz de se defender das ameaças à segurança.

"Já sentimos sua falta"

A carta foi entregue a Tusk ainda pela manhã pelo embaixador do Reino Unido na UE, Tim Barrow. "Não há razão para fingir que este é um dia feliz, nem em Bruxelas, nem em Londres", disse Tusk, ao receber a notificação. "Paradoxalmente há também algo positivo no Brexit. Ele nos torna mais determinados e unidos."

Tusk disse que ele e a Comissão Europeia têm um forte mandato para proteger os interesses dos outros 27 Estados-membros, no que ele descreveu como "difíceis negociações". Tusk comunicou que compartilhará sua proposta sobre as diretrizes das negociações na sexta-feira. "Já sentimos a sua falta", finalizou, em alusão ao adeus próximo ao Reino Unido.

Assistir ao vídeo 01:29
Ao vivo agora
01:29 min

O que muda no comércio e na migração do Reino Unido após o Brexit?

A chanceler federal alemã, Angela Merkel, afirmou que os Estados-membros da UE precisam se manter unidos no processo do Brexit e pediu negociações "leais e construtivas" entre Londres e Bruxelas.

"Nós, a UE, vamos conduzir as conversações de uma forma justa e construtiva. Espero que o governo britânico também adote o mesmo espírito nas negociações", afirmou Merkel, que disse ter recebido garantias de May por telefone.

Merkel disse que a Alemanha se esforçará para garantir que haja o menos possível de perturbações às vidas dos cidadãos da União Europeia que vivem no Reino Unido. Ela espera que Londres e a UE possam seguir sendo parceiros próximos. Com o Brexit, muitas pessoas na Europa estão preocupadas com seu próprio futuro pessoal.

"Este é o caso especialmente de muitos alemães e cidadãos europeus no Reino Unido. O governo alemão trabalhará intensamente para garantir que o efeito sobre o cotidiano dessas pessoas seja o menor possível", afirmou.

Começa, portanto, a contagem regressiva do Brexit, previsto para ser sacramentado até o dia 29 de março de 2019, ao término do período de negociações. Em 23 de junho do ano passado, 52% dos britânicos votaram a favor da saída do bloco.

A expectativa é que nesta quinta-feira o presidente do Conselho faça circular entre os 27 Estados-membros da UE um texto sobre as diretrizes de negociação com o Reino Unido. Estas diretrizes serão adotadas formalmente na cúpula especial prevista para o dia 29 de abril em Bruxelas.

PV/efe/lusa/ap/dpa/afp

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados