1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Reino Unido cogitou transferir Hong Kong para a Irlanda do Norte

Iniciativa feita em tom de brincadeira acabou sendo levada a sério e discutida pelas autoridades irlandesas. O plano revela a ansiedade britânica sobre o futuro de Hong Kong, que foi devolvida à China em 1997.

Documentos confidenciais do governo britânico divulgados nesta sexta-feira (03/07) revelam que as autoridades britânicas cogitaram transferir a população de Hong Kong, de 5,5 milhões, para a Irlanda do Norte, antes de devolver o território para a China, em 1997. A estratégia foi levada a sério pelas autoridades do governo, após ter sido apresentada em uma palestra de sociologia no início dos anos 1980.

A informação foi trazida a público pelos Arquivos Nacionais do Reino Unido, que revelaram um documento de 1983 intitulado Reimplante de Hong Kong na Irlanda do Norte. Nele constam registros de discussões entre as autoridades britânicas sobre o plano de reassentar os moradores de Hong Kong em uma nova "cidade-Estado" a ser construída em Magilligan, entre Coleraine e Londonderry.

O palestrante que havia feito a proposta, Christie Davies, alegou – aparentemente em tom de brincadeira – que a mudança iria revitalizar a economia local e salvar Hong Kong, que, segundo afirmou, não teria futuro "em sua localização atual", após ser devolvida para a China.

Em um email ao o jornal The New York Times, Davies afirmou que a ideia, que apareceu em um artigo publicado no jornal The Belfast News Letter, foi dada com humor.

"À época, o artigo foi bem recebido em Hong Kong, mas reconhecidamente como uma brincadeira", afirmou. "Os irlandeses não entendem sátira e não têm senso de humor, por isso acho que alguns deles levaram a sério."

"Vantagens reais"

Segundo o documento divulgado nesta sexta-feira, o servidor público da Irlanda do Norte George Fergusson iniciou discussões com o ministério do Exterior sobre o plano, e escreveu a um colega dizendo que poderia haver "vantagens reais ao levar a sério a proposta".

Apesar de não estar claro se a proposta chegou ao nível ministerial, o plano revela a ansiedade britânica sobre o futuro de Hong Kong, antes da devolução do território à China, conforme os termos do acordo firmado em 1898.

Em 1984, a primeira-ministra britânica, Margaret Thatcher, assinou uma declaração conjunta com a China abrindo caminho para que a ex-colônia retornasse ao domínio chinês em 1997.

Hoje em dia, muitos em Hong Kong se preocupam com o que entendem ser uma perda gradual da autonomia da região. No ano passado,

milhares de manifestantes bloquearam avenidas

em distritos importantes da cidade durante 79 dias, exigindo eleições livres para as lideranças locais.

RC/ap/dpa

Leia mais