Reinhard Mohn, patriarca do grupo Bertelsmann, morre aos 88 anos | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 04.10.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Reinhard Mohn, patriarca do grupo Bertelsmann, morre aos 88 anos

Quinta geração da família Bertelsmann, Reinhard Mohn ergueu a falida empresa familiar no pós-Guerra, transformando-a em império da mídia. Receita do sucesso foi o Círculo de Leitores, criado em 1950.

default

Mohn deixou a presidência da Bertelsmann em 1981

Reinhard Mohn, o alemão que transformou uma pequena tipografia num dos maiores grupos de mídia do mundo, morreu sábado (03/10) aos 88 anos de idade, anunciou neste domingo o grupo editorial Bertelsmann. Mohn, que assumiu a direção do C. Bertelsmann Verlag em 1947, foi seu presidente até 1981.

Ao longo do tempo, o grupo Bertelsmann expandiu suas atividades e criou clubes do livro, editoras e tipografias e adquiriu jornais e emissoras de televisão e de rádio. Segundo o próprio grupo, as empresas da Bertelsmann estão espalhadas por mais de 50 países e empregam 103 mil pessoas.

Liz Mohn Bertelsmann Stiftung

Liz Mohn, vice-presidente do grupo

Mohn e sua segunda esposa, Liz, que mantém o controle das empresas e fundações do grupo, representam a quinta geração do clã Bertelsmann. Hoje, a Random House, subsidiária do grupo, é a principal editora do mundo, reunindo mais de cem editoras responsáveis por mais de 9 mil publicações anuais.

A norte-americana foi adquirida pelo grupo alemão em 1998. Além disso, a Bertelsmann teve participação no setor de discos por meio da BMG, até ceder à Sony o controle total de um empreendimento conjunto nesta área, a Sony BMG, em 2008.

Engajamento social e cultural

O presidente da Fundação Bertelsmann, Gunter Thielen, qualificou Mohn como uma das personalidades mais importantes na recuperação econômica e social da Alemanha após a Segunda Guerra Mundial. Vários líderes políticos, entre os quais a chanceler federal Angela Merkel, ressaltaram em suas mensagens de condolências o engajamento social e cultural de Mohn.

Bertelsmann

Matriz do conglomerado em Gütersloh

O empresário nasceu em 29 de junho de 1921 em Gütersloh, no centro da Alemanha, onde a Bertelsmann ainda mantém sua sede. Após lutar na Segunda Guerra e ser libertado pelos norte-americanos, assumiu a empresa quase falida da família. A receita de sucesso foi o Círculo de Leitores Bertelsmann, criado em 1950.

Seu lema era "Aproximar o livro do povo e ganhar dinheiro com isso". Mohn criou uma cultura empresarial própria: nos anos de bom faturamento, pagava adicional aos funcionários, mas nas épocas de crise eles deixavam de ganhar aumento.

Quarto mais rico da Alemanha

Em 1991, aos 60 anos de idade, ele renunciou ao cargo no Conselho de Administração do grupo para se dedicar completamente à Fundação Bertelsmann, criada em 1977. Em 1993, repassou à fundação a maioria do capital acionário do grupo. Hoje, a ela detém 76,9% do conglomerado. Quando se retirou da vida ativa, há cinco anos, Mohn era o quarto no ranking dos mais ricos da Alemanha.

Fazem parte também do grupo Bertelsmann a editora Gruner + Jahr (das revistas Stern e Geo ), de Hamburgo, assim como o Grupo RTL de rádio e televisão e a prestadora de serviços Arvato.

Devido à crise econômica e financeira, o grupo sofreu um prejuízo de 333 milhões de euros no primeiro semestre de 2009. Segundo a empresa, o faturamento caiu 7% em relação ao mesmo período de 2008, para 7,2 bilhões de euros.

RW/epd/dpa/ap

Revisão: Alexandre Schossler