Reestruturação do gabinete britânico mostra frágil liderança de Brown | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 05.06.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Reestruturação do gabinete britânico mostra frágil liderança de Brown

Série de renúncias de ministros reflete crise do governo no Reino Unido. Resultados de eleições municipais e europeias podem revelar nível de rejeição do Partido Trabalhista.

default

Premiê britânico tenta recompor gabinete

A demissão do ministro britânico dos Transportes, Geoff Hoon, nesta sexta-feira (05/06), foi a quinta renúncia anunciada nesta semana em Londres. Em reação à série de baixas na sua equipe de governo, o primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, iniciou nesta sexta-feira (05/06) uma reformulação em seu gabinete. Pela manhã, o secretário de Defesa, John Hutton, havia anunciado sua renúncia ao cargo por motivos familiares.

O ministro do Trabalho, James Purnell, deixou o posto na última quinta-feira e sugeriu que Gordon Brown também renunciasse. Segundo alegou Purnell, Brown deveria sair e dar uma chance de vitória ao Partido Trabalhista nas eleições municipais, ocorridas na quinta-feira.

Escândalo do dispêndio de recursos públicos

A ministra britânica das Comunidades, Hazel Blears, e Jacqui Smith, ministra do Interior, renunciaram esta semana, depois que veio à tona o uso indevido de recursos públicos. Esse escândalo abalou a imagem do governo. Desde março, os jornais britânicos têm noticiado as irregularidades.

A reestruturação da equipe de governo comandada por Brown tem o efeito de mantê-lo à frente do cenário político inglês. Segundo as primeiras mudanças anunciadas, Alan Johnson, até então ministro de Saúde, deve assumir o Ministério do Interior (Home Office). Alistair Darling, ministro das Finanças, e David Miliband, das Relações Exteriores, deverão ser mantidos em suas funções.


NP/Reuters/afp/dpa
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais