REDESCOBRINDO O COMPOSITOR JOSEPH HAYDN | Escreva sua opinião, comentários, críticas ou sugestões | DW | 06.06.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Sua Opinião

REDESCOBRINDO O COMPOSITOR JOSEPH HAYDN

Joseph Haydn, Museu de Gdansk, crise econômica e jogo de xadrez em escolas infantis foram os temas abordados pelos nossos leitores. Não deixe de ler as opiniões desta semana!

default

Partitura de Joseph Haydn

Na Santíssima Trindade do Classicismo Vienense, Haydn é o Pai, Beethoven é o Filho e Mozart é o Espírito Santo. É bem verdade que eu também gosto da geração Krautrock, de Wir Sind Helden, Schiller e Tocotronic, mas nunca achei que Haydn fosse um compositor anódino.

Há quem diga que gosto não se discute, apenas lamenta-se, e eu lamento que os ouvidos contemporâneos estejam dessensibilizados e já não sejam mais capazes de perceber a intensidade dramática do "Sturm und Drang" haydniano, deploro que não consigam sentir o susto que o compositor dá no ouvinte, na sinfonia Mit dem Paukenschlag, lastimo que não consigam alcançar a beleza e admirar o extremo apuro técnico da Sonata em lá nº 41, Hob. 16/26. Há uma dessensibilização dos ouvidos, dos corações e das mentes, sem a menor dúvida.
Lyndon C. Storch Jr.

MUSEU EM GDANSK LEMBRA INVASÃO DA POLÔNIA PELAS TROPAS DE HITLER

Leio muito sobre a Segunda Guerra Mundial e acho muito interessante a inauguração deste museu em Gdansk para que a humanidade não esqueça esses horrores, e não tenha que chorar de novo.
Agamenon Farias das Merces

Acho bem interessante a idéia do Museu em Gdansk. Penso que ele vai retratar um pouco de todo o sofrimento vivido pelo povo polonês. Mas fica uma dúvida: serão retratadas apenas as ações hitleristas na Polônia, ou ações como a do Exército Vermelho, como no caso de KATYN, também serão abordadas?
Rafael

UE LUTARÁ COM ALTO ENDIVIDAMENTO NOS PRÓXIMOS ANOS

O que mais encabula é que o mundo inteiro fala de recessão, mas ninguém fala quais as penalidades aplicadas aos verdadeiros culpados pela crise. É sabido que bilhões de pessoas, no mundo inteiro, perderam e apenas milhares ganharam e muito.

Será que essa é a verdadeira realidade do capitalismo que queremos, concentrando mais de 85% das riquezas mundiais em mãos de apenas 15% dos mais ricos? Será que tudo continuará como está, beneficiando o sistema financeiro que já poderia ter sido estatizado para evitar o poder devastador de especulação que ainda detém?

Por que será que os países do G20 não acabam definitivamente com os paraísos fiscais, com os abusos nas commodities, no mercado de ações e nos juros reais e manipulação com a moeda? Difícil não é, basta vontade política para coibir esses abusos. Será que os bancos centrais estão defendendo os interesses da sociedade civil ou do sistema financeiro privado? Por que não se limita a taxa de juros reais em até 3% ao ano?
João da Rocha

CRISE DA OPEL

Fiquei muito chateada com o governo alemão por ter decidido ajudar a empresa alemã Opel. Foi mal administrada por seus dirigentes durante vários anos. O ego dos seus dirigentes não soube negociar com os possíveis compradores mundiais. Não soube descer do seu trono e aprender a ter a flexibilidade com a globalização que batia à sua porta.

Esperaram o gargalo da crise e colocaram seus funcionários na linha de frente de uma batalha perdida e a mídia mostrando na TV os funcionários antigos da Opel, os filhos dos funcionários sem empregos, sem esperanças. Fico aborrecida com essas cenas melodramáticas produzidas para o público sem informações. Os acionistas venceram a luta pela liderança da Opel na Alemanha. O povo alemão perdeu! Pagaremos mais impostos, mais inflação, mais crise econômica, menos dinheiro para a saúde, menos dinheiro para as escolas públicas e mais violência urbana, mais pobreza na Alemanha.

Maria Angelica Dias Müller


PROJETO ESPECIAL LEVA JOGO DE XADREZ A ESCOLAS INFANTIS

Finalmente as escolas alemãs estão copiando as escolas russas. Essa é uma idéia que dá certo. Sou um amante do xadrez, embora não tenha um grande talento.

Arthur Cardoso da Costa Jr.



Leia mais