1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Recorde às avessas

Neste ano não foi fácil para os alemães pagarem suas contas. No balanço de 2003, empresas e consumidores acabaram sobreendividados.

default

Muitos alemães não pagaram as contas em 2003...

A Alemanha está alcançando em 2003 um recorde às avessas: cerca de 40 mil empresas encontram-se em processo de insolvência, 6% a mais do que no ano anterior. Não somente as firmas não estiveram em condições de cumprir com seus compromissos financeiros, mas também muitos domicílios privados - 50% a mais que em 2002 -terminaram sobreendividados.

Divórcio, doenças, compra de bens caros e mercadorias a prestações, desemprego, falta de planejamento orçamentário: tudo isto contribuiu para que 10% das pessoas físicas alemãs não conseguissem pagar suas contas.

Mais dinheiro para o aluguel...

A regra clássica de se comprar apenas quando se tem dinheiro na mão saiu aparentemente de moda, sendo substituída pela tendência de se gastar mais do que se tem. Se para pequenas empresas o pedido de falência é uma oportunidade de um recomeço sem dívidas, para as pessoas comuns a inadimplência significa a chance de uma nova vida. Na maioria das vezes, porém, acompanhada por novas prestações e dívidas...

O Ministério alemão da Família acredita que quase 3 milhões de casas encontram-se excessivamente endividadas. Viktor Birck, consultor de uma divisão da Igreja que orienta endividados em Bonn, comenta que, hoje em dia, especialmente no caso de famílias maiores, de um terço até metade da renda familiar deve ser separada exclusivamente para o pagamento de aluguel, não mais os 25% que eram planejados antigamente. A conseqüência lógica é que existe menos dinheiro disponível para outras atividades.

Vida mais cara

Não somente a vida na Alemanha tornou-se mais cara com o advento do euro, mas pequenas coisas do dia-a-dia contribuem por sua vez para o agravamento da situação. Adolescentes, por exemplo, pagam preço de adulto em cinemas. A febre do celular junto às crianças e jovens alemães gera contas imensas, o que não faz diminuir a sua compulsão e os problemas para os pais. Além disto, os filhos saem freqüentemente cedo de casa, o que significa mais aluguel, despesas de casa e de carro, que ou os pais ou o próprio jovem precisa e nem sempre consegue honrar.

Pesquisas indicam que, apesar do recorde de falências, de endividamento e da falta de sinais de melhora no mercado de trabalho, os pequenos e médios empresários alemães estão otimistas. Quase a metade das empresas, com exceção do setor de construção, contam com lucro para o ano que vem. Não esperam, no entanto, alteração no índice de desemprego. O endividamento privado, porém, continuará provavelmente a crescer.

Leia mais