Rebeldes líbios exigem que Argélia extradite família de Kadafi | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 30.08.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Rebeldes líbios exigem que Argélia extradite família de Kadafi

A Argélia, que não reconheceu o Conselho Nacional de Transição como novo governo líbio, confirmou a entrada da esposa e três filhos de Kadafi no país. Rebeldes líbios afirmam que acolhida da família é "ato de agressão".

default

Safia Kadafi, esposa do ex-ditador, está refugiada na Algeria

Depois da confirmação de que a esposa de Muammar Kadafi, três filhos e netos do ditador teriam cruzado a fronteira da Líbia para a Argélia, os rebeldes líbios acusam o país vizinho de ato de agressão e exigem o retorno dos fugitivos.

"Nós prometemos um julgamento justo a todos os criminosos e, por isso, consideramos isso uma agressão", disse nesta terça-feira (30/08) Mahmud Shammam, porta-voz dos insurgentes líbios, à agência de notícias Reuters.

A esposa de Kadafi, Safia, a filha Aisha e os filhos Hannibal e Mohammed entraram na Argélia na manhã desta segunda-feira, informou o Ministério do Exterior do país.

O fato ameaça criar uma contenda diplomática, já que o Conselho Nacional de Transição (CNT) trabalha para se impor como o novo governo da Líbia. Representantes do CNT informaram que vão pedir a extradição da família do ex-ditador.

"Salvar a família de Kadafi não é um ato que nós saudamos e para o qual tenhamos compreensão", disse Shamman. Ele acusou o governo argelino de ter dado um passaporte à família Kadafi, para ingresso num terceiro país. "Nós podemos assegurar aos nossos vizinhos que queremos ter com eles as melhores relações, mas estamos determinados a prender e julgar a família de Kadafi e o próprio Kadafi", disse o porta-voz.

O paradeiro do ex-líder líbio continua desconhecido desde que os rebeldes ocuparam a capital, Trípoli. A revolução, que já dura seis meses, encerrou os 42 anos de regime de Kadafi na semana passada, mas, segundo os insurgentes, a vitória só será declarada depois que o ditador for encontrado.

Caçada

A liderança rebelde quer que Kadafi e seus colaboradores respondam por seus atos na Justiça. "Estamos alertando todos para que não escondam Kadafi e seus filhos. Nós estamos atrás deles, para encontrá-los e prendê-los", afirmou Shamman.

O porta-voz do CNT também disse ter recebido informações de que a família do ex-líder líbio ficará na Argélia até que consiga ir para outro país. "Eles estão tentando ir para outro país, possivelmente no Leste Europeu", adicionou.

O chefe do CNT, Mustafa Abdel Jalil, pediu ao governo argelino – que ainda não reconheceu o Conselho como representante legítimo do povo líbio – que coopere e entregue os filhos de Kadafi que estão na lista de procurados.

No campo de batalha

O movimento rebelde divulgou que Khamis, o filho mais novo de Kadafi, teria morrido durante um confronto ao sul de Trípoli. A informação, no entanto, ainda não foi confirmada por fontes independentes.

Segundo relatos, Khamis Kadafi e Abdullah Senoussi, chefe do serviço de inteligência durante o regime, foram mortos no último sábado. Khamis, de 28 anos, comandava uma das tropas pró-Kadafi.

NP/dpa/rts/afp
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais