″Reality show″ com bebês emprestados estreia com polêmica na Alemanha | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 03.06.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

"Reality show" com bebês emprestados estreia com polêmica na Alemanha

Programa mostra casais de adolescentes brincando de ser pais de filhos de estranhos. Apesar de protestos de telespectadores, a emissora privada RTL recebeu o aval da Justiça alemã para exibir o "reality show".

default

Quatro casais entre 16 e 19 anos cuidam de quatro bebês de sete a 14 meses

Dar banho, colocar parar dormir, dar mamadeira e fazer o bebê parar de chorar. São tarefas de Tamara e Bastian, de 17 e 18 anos, responsáveis pelo pequeno Lasse, de 10 meses. Poderiam ser cenas de uma vida real, mas são capítulos de um reality show que estreia na noite de quarta-feira (03/06) no canal alemão RTL. Na manhã do mesmo dia, uma decisão judicial liberou a exibição do programa após uma última tentativa de uma associação de pais alemães de banir a estreia.

O programa Erwachsene auf Probe (algo como "Adultos em teste" ) foi inspirado em The Baby Borrowers, sucesso da televisão norte-americana e britânica. Os participantes são quatro casais de adolescentes entre 16 e 19 anos, que por quatro dias assumem as responsabilidades de bebês com idades entre sete e quatorze meses.

Para serem aceitos no reality show, os adolescentes garantiram à produção do programa que formar uma família faz parte de seus planos futuros e aceitaram testar a situação em frente às câmeras. A ideia é oferecer aos adolescentes a experiência de uma vida adulta e, dessa maneira, evitar uma gravidez precoce.

Bebês estressados

Antes mesmo da estreia, o programa já foi criticado por políticos, psiquiatras e pela associação alemã de parteiras. "Os bebês normalmente não vão com estranhos", disse o psiquiatra Karl-Heinz Brisch, de Munique, ao jornal Tagesspiegel. "As crianças ficam estressadas e com medo no colo de pessoas que não conhecem". O psiquiatra não consegue entender como a equipe médica que acompanhou as filmagens não protestou.

Segundo a RTL, um canal privado de televisão, os pais das crianças estiveram presentes durante toda a filmagem. Psicólogos também teriam acompanhado a produção, prontos para intervir quando necessário.

Apesar dos pedidos para tirar o programa do ar, a RTL se defende argumentando que recebeu a autorização das autoridades reguladoras.

Proibição limitada

"Cobrar das autoridades públicas que banissem o programa foi um grande equívoco, pois seria um tipo de censura", declarou Axel Dürr, representante dos órgãos de controle. "Não somos uma comissão de censura, que checa toda a programação antes que ela vá ao ar e cobra alterações caso algo não seja aprovado."

Segundo Dürr, como a série já foi toda filmada, não há mais como a produção ser interrompida. Mas lembra que, eventualmente, algumas medidas poderiam ser tomadas, como estipular um horário a partir do qual pudesse ser exibido e proibir sua reprise na programação matinal.

A associação alemã de parteiras, que vê o programa como "uma espécie de prostituição", escreveu cartas à direção da RTL explicando que o problema está na separação dos bebês de seus pais durante as filmagens.

"O maior efeito disso tudo é o trauma que pode ser causado, principalmente porque as crianças são muito novas", analisa Jennifer Jacque-Rodney, da associação. "Nos preocupamos muito com o elo entre pais e filhos, algo que não começa só depois do nascimento do bebê, mas ainda dentro da barriga da mãe. Separar um bebê tão novinho de sua mãe pode deixar traumas."

Mas agora é tarde para prevenir efeitos traumáticos, já que o programa foi gravado nove meses atrás. Na opinião de Jacque-Rodney, a série não necessariamente servirá para evitar a gravidez na adolescência, que era seu objetivo inicial.

"No programa, os participantes recebem dinheiro para gastar, uma casa e uma criança gerada por outra pessoa. Tudo já vem preparado. Em vez de evitar que uma adolescente engravide, isso poderá fazer com que as garotas pensem que está tudo bem, que elas serão aceitas na sociedade e tudo o que precisam fazer é cuidar de uma criança", acrescenta Jacque-Rodney. "Na verdade, o efeito poderia ser oposto."

RTL Serie Erwachsene auf Probe

Tamara e Bastian cuidam do pequeno Lasse, de 10 meses

Vida de verdade

Tamara, de 17 anos, e o namorado Bastian, de 18, assumiram a responsabilidade sobre o pequeno Lasse. A adolescente diz que fazer o papel de mãe não é fácil e que, em algumas situações, simplesmente não sabia o que fazer.

"De manhã, a mãe de Lasse o trazia e brincava com ele um pouquinho no nosso apartamento. Então o Lasse se acostumava com o ambiente", conta Bastian. No fim do dia, as crianças iam embora com suas mães para casa.

A mãe verdadeira de Lasse diz que gostou de participar da experiência e de ver como os adolescentes cuidaram do seu bebê. Para ela, as críticas deverão diminuir depois que o programa for exibido. "As pessoas verão do que a série trata."

Estatísticas apontam queda

Estatísticas oficiais apontam uma queda do número de casos de gravidez na adolescência na Alemanha e na maior parte da Europa. no entanto, 3,5% das crianças nascidas na Alemanha em 2006 eram filhas de mães com idade inferior a 20 anos.

Na opinião da adolescente Tamara, o programa vai ajudar garotas da mesma idade que ela a fazer as escolhas corretas. Ela e Bastian continuam namorando e ainda querem ter filhos, mas dizem que a chegada do primeiro bebê pode ficar para daqui a alguns anos. No seriado americano, todos os casais participantes se separaram após as filmagens.

Autor: Arne Lechtenberg

Revisão: Rodrigo Abdelmalack

Leia mais