Ranking põe Temer como líder mais impopular do mundo | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 26.10.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Ranking põe Temer como líder mais impopular do mundo

Dados da consultoria Eurasia apontam que aprovação ao presidente brasileiro, na casa dos 3%, é mais baixa do que a de governantes impopulares como o venezuelano Maduro e o sul-africano Zuma.

Cartaz pede o afastamento de Temer durante protesto neste ano: 3% de aprovação popular

Cartaz pede o afastamento de Temer durante protesto neste ano: 3% de aprovação popular

Pesquisas ao longo do último ano já haviam apontado que o presidente Michel Temer é o presidente mais impopular da história recente do Brasil, tendo seu governo ultrapassado até mesmo a reprovação verificada nos últimos meses do governo José Sarney (1985-1990).

Agora, Temer também aparece na lanterna de um ranking que compilou dados de alguns dos líderes mais impopulares do mundo.

Segundo dados compilados pelo grupo de análise política Eurasia, os 3% de aprovação popular de Temer, verificados em uma pesquisa em setembro,  colocam o presidente atrás de líderes como o venezuelano Nicolás Maduro, que governa de maneira implacável um país com a economia arruinada, e o sul-africano Jacob Zuma, que enfrenta uma série de acusações de corrupção. A popularidade de Maduro no ranking é de 23%. Já a de Zuma, 18%.

Temer também aparece bem atrás do presidente do México, Enrique Pena Nieto (28%), e da primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May (31%). E ainda mais distante do americano Donald Trump (37%) e do francês Emmanuel Macron (45%), que assumiram seus mandatos há poucos meses e já enfrentam queda de popularidade.

No final de setembro, uma pesquisa do Ibope encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostrou que apenas 3% da população brasileira classificam o governo Temer como bom ou ótimo – considerando a margem de erro de 2%, o índice poderia chegar a 1% ou 5%. Já 77% consideraram a administração como ruim ou péssima.  Em julho, uma pesquisa do mesmo instituto havia apontado aprovação de 5%.

A impopularidade do presidente, no entanto, não tem resultado na paralisação total do seu governo. Temer vem se mantendo no poder com a ajuda da classe política mesmo com a rejeição recorde dos brasileiros. Na quarta-feira (25/10), o presidente fez valer sua influência no Congresso e conseguiu evitar seu afastamento ao reunir 251 votos na Câmara e engavetar a segunda denúncia criminal apresentada pelo Ministério Público.

JPS/ots

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

 

Leia mais