1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

"Rainha-mãe foi uma grande mulher", diz presidente alemão

A morte da rainha-mãe gerou tristeza e consternação também na Alemanha. O presidente Johannes Rau a chamou de uma grande mulher e populares depositam flores na embaixada britânica em Berlim.

default

Rainha-mãe quando completou 101 anos de idade.

A figura mais popular da realiza britânica, a rainha-mãe Elizabeth da Inglaterra morreu na madrugada de domingo (31), aos 101 anos de idade, no castelo de Windson, em Londres. Segundo o comunicando curto do Palácio de Buckinghan, a sua filha mais velha, a rainha Elizabeth II, estava a seu lado enquanto ela "dormia pacificamente". A morte da monarca gerou luto e tristeza também na Alemanha.

"Nós consideramos a rainha-mãe uma grande mulher", escreveu o presidente alemão, Johannes Rau, em suas condolências à rainha Elizabeth II. O político social-democrata destacou que, "durante sua longa vida, ela não só foi amada por muita gente em seu país, mas também admirada na Alemanha".

Em todos os quartéis das guarnições britânicas na Alemanha a bandeira permanecerá hasteada a meio pau, em sinal de luto, até o enterro da rainha-mãe, em 9 de abril. Ela tinha relações muito especiais com as Forças Armadas, desde a Segunda-Guerra Mundial. O ditador nazista alemão Adolf Hitler a qualificou como "a mulher mais perigosa da Europa".

Para o jornalista alemão especialista em realeza, Roldf Seelmasnn-Eggbert, a morte da rainha-mãe representa um duro golpe para a monarquia da Grã-Bretanha, em virtude de sua popularidade que remonta a longas datas. Segundo ele, Elizabeth Angela Marguerite Bowes-Lyon, oriunda da aristocracia escocesa, prestou grande apoio ao seu marido, o rei George VI, e deu à corte britânica um esplendor muito especial. Ela angariou mais popularidade depois que se recusara a deixar Londres durante a Grande Guerra. Apesar dos bombardeios incessantes, Elizabeth preferiu ficar na cidade, ao lado do marido, também para encorajar a tropa e a população.

A rainha-mãe completaria 102 anos em 4 de agosto próximo. Nascida em 1900, ela casou-se em 1923 com o príncipe Albert, filho do rei George V, e tornou-se rainha em 1937 quando o seu marido ascendeu ao trono como o rei George VI. Depois que ele morreu repentinamente de câncer, em 1952, a sua filha mais velha, a jovem Elizabeth assumiu o trono como rainha britânica Elizabeth II. Sua filha mais nova, a princesa Margareth, morreu em fevereiro passado, depois de sofrer dois derrames.