Rafinha não viaja com o Schalke e diz que vai a Pequim | Siga a cobertura dos principais eventos esportivos mundiais | DW | 21.07.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Rafinha não viaja com o Schalke e diz que vai a Pequim

Lateral brasileiro enfrenta diretoria do Schalke, deixa de se apresentar ao clube e diz que vai participar dos Jogos Olímpicos em Pequim.

default

Diz que vai a Pequim: o lateral Rafinha

O lateral Rafinha não se apresentou ao Schalke nesta segunda-feira (21/07) e declarou que pretende viajar com a seleção brasileira para Pequim nesta terça-feira para participar dos Jogos Olímpicos. O brasileiro faltou no aeroporto, de onde a equipe partiu para a Áustria, onde realizará os preparativos para a temporada da Bundesliga que se inicia em 15 de agosto.

"Foi a primeira vez que um jogador tomou por conta própria uma decisão que vai contra a exigência do clube", declarou Andreas Müller. O diretor esportivo do Schalke acrescentou que o clube consultará a Federação Alemão de Futebol (DFB) e a Liga Alemã de Futebol (DFL) antes de decidir como agir. "Posso entender que ele sonhe em jogar nos Olimpíadas, mas os interesses do clube estão em primeiro plano", deixou claro.

Falta de clareza

Rafinha foi o primeiro jogador da Bundesliga a se aproveitar da falta de um regulamento claro nos estatutos da Fifa sobre a obrigatoriedade ou não de os clubes dispensarem profissionais convocados por suas seleções para participar dos Jogos.

Além do lateral do Schalke, o problema afeta os brasileiros Diego, do Werder Bremen, e Breno, do Bayern de Munique, bem como outros estrangeiros que atuam na Bundesliga. Apenas Breno, de 18 anos, tem luz verde de seu clube para partir para Pequim. O Werder se recusa, da mesma forma que o Schalke em relação a Rafinha, a liberar o atacante brasileiro. Klaus Allofs, diretor esportivo do clube de Bremen, não teme, no entanto, que Diego faça o mesmo que Rafinha.

Ainda que a situação jurídica não seja clara, a decisão do lateral do Schalke foi arriscasda. "O jogador tem que comparecer ao seu local de trabalho. Caso não o faça, pode ser despedido sumariamente", avalia Christoph Schickhardt, advogado de renome especializado em questões de Bundesliga. Em sua opinião, Rafinha deveria ter entrado com um pedido de férias, só que elas certamente não lhe seriam concedidas porque o clube está numa importante fase de preparativos para a nova temporada.

Lúcio expressa compreensão

O zagueiro Lúcio, do Bayern de Munique, declarou entender que Rafinha e Diego queiram ir sem falta a Pequim. "Para um jogador, é muito importante participar dos Jogos Olímpicos. O clube deveria entender isso."

É uma situação difícil para o clube e para o jogador, mas se ele estivesse na mesma situação, acrescentou Lúcio, provavelmente renunciaria, "porque tenho um contrato com o clube".

Leia mais