1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Rússia rejeita missão da ONU na Ucrânia

Presidente ucraniano pede que forças de paz das Nações Unidas monitorem o cessar-fogo no leste do país. Moscou critica a proposta, afirmando que o objetivo de Kiev é destruir o acordo de Minsk.

A Rússia afirmou nesta quinta-feira (19/02) que o pedido do presidente ucraniano, Petro Poroshenko, para que forças de paz da ONU intervenham no leste do país tem como objetivo destruir o já combalido acordo de cessar-fogo na região.

Numa reunião de emergência do Conselho de Segurança Nacional e Defesa da Ucrânia na noite desta quarta-feira,

Poroshenko defendeu que uma missão de paz das Nações Unidas

monitore o cessar-fogo no leste do país.

Segundo o presidente ucraniano, a presença de forças de paz com um mandato do Conselho de Segurança da ONU seria a melhor forma de garantir a segurança "numa situação em que as palavras de paz não são observadas nem pela Rússia nem por aqueles que a apoiam", em referência aos separatistas pró-Rússia.

O embaixador da Rússia na ONU, Vitaly Churkin, alertou que o pedido poderá destruir o acordo de cessar-fogo firmado em Minsk pela Alemanha, a França a Rússia e a Ucrânia, na semana passada.

"Quando alguém, ao invés de agir conforme o que havia sido acordado, sugere tão cedo uma nova estratégia, levanta suspeitas de que deseja destruir o acordo" afirmou Churkin à agência estatal de notícias russa Ria Novosti.

O acordo de Minsk estipulou que as tropas de Kiev e os separatistas interrompessem os combates no leste ucraniano no último fim de semana e iniciassem a retirada de armamentos pesados das zonas de conflito.

Entretanto, os rebeldes ignoraram a trégua ao prosseguir com os ataques a

Debaltsevo

, um importante centro ferroviário localizado entre os bastiões rebeldes Donetsk e Lugansk. Nesta quarta-feira, a Ucrânia retirou milhares de soldados da região, após forte ofensiva dos separatistas que defendem que o é parte de seu território.

Numa conversa telefônica nesta quinta-feira, os líderes da Ucrânia, Rússia, Alemanha e França reforçaram a necessidade de garantir a sustentabilidade do cessar-fogo no leste ucraniano, disse o Kremlin em comunicado.

Poroshenko, os presidentes russo, Vladimir Putin, e francês, François Hollande, e a chanceler federal alemã, Angela Merkel, também disseram estar dispostos a apoiar ativamente o trabalho da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) na Ucrânia. Os líderes ressaltaram a necessidade de implementar medidas práticas para a retirada de armamento pesado, segundo o Kremlin.

RC/rtr/afp

Leia mais