1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Rússia protesta contra ofensiva de Kiev no leste ucraniano

Moscou acusa governo da Ucrânia de destruir "última esperança" de solução diplomática para a crise ao atacar separatistas. Kiev confirma derrubada de dois helicópteros e afirma que milicianos têm apoio profissional.

Dois helicópteros militares ucranianos foram derrubados nesta sexta-feira (02/05) durante combates nas proximidades de Slaviansk, de acordo com fontes em Kiev. Insurgentes acusam a morte de "diversos" separatistas durante ataque do governo. A Rússia protestou contra a investida de forças governamentais ucranianas contra milicianos pró-russos.

Na manhã desta sexta-feira, o ministro do Interior ucraniano, Arsen Avakov, informou que o Exército ucraniano lançou uma "fase ativa da operação antiterror" nas cidades de Slaviansk e Kramatorsk. Segundo Avakov, soldados ucranianos retomaram o controle de nove pontos de controle das milícias e cercaram Slaviansk. Ele pediu que os habitantes de Slaviansk e Kramatorsk permanecessem em casa.

De acordo com o Ministério da Defesa da Ucrânia, combatentes pró-russos abateram duas aeronaves modelo Mi-24 com lança-foguetes portáteis. Dois soldados ucranianos foram mortos e vários outros feridos.

"Mercenários profissionais"

O governo de transição em Kiev exige que os separatistas libertem os reféns detidos, que deponham as armas e saiam dos prédios ocupados. Segundo Avakov, as forças ucranianas estão enfrentando no leste do país "mercenários profissionais". Em sua conta no Facebook, o ministro afirmou que os soldados ucranianos foram atacados com lançadores de foguetes e outras "armas pesadas".

O serviço de informações ucraniano SBU afimou que a derrubada dos helicópteros é prova de que "especialistas militares estrangeiros" estão atuando no leste da Ucrânia "e não só civis, como alega o governo russo".

Ukraine - Offensive in Slowjansk, prorussische Aktivisten 2. Mai 2014

Helicóptero ucraniano sobrevoa Slaviansk: duas aeronaves foram abatidas por separatistas

Há uma semana, milicianos pró-Rússia mantêm reféns em Slaviansk observadores militares da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), incluindo um intérprete e três soldados alemães. O líder local dos separatistas, Viacheslay Ponomariov, afirmou que os reféns foram enviados para um lugar seguro, fora da zona de combate. Ele também confirmou a morte de "diversos" milicianos pró-Rússia no ataque das forças ucranianas nesta sexta-feira.

"Ataque destrói última esperança"

O governo russo criticou duramente o ataque do Exército da Ucrânia contra milícias pró-russas no leste do país. O porta-voz do presidente Vladimir Putin, Dmitri Peskov, classificou o ataque como uma violação do acordo de Genebra, obtido em meados de abril durante o encontro entre representantes de Rússia, Ucrânia, UE e EUA.

Segundo agências de notícias russas, Peskov afirmou que, enquanto a Rússia se empenha para acalmar o conflito, o governo de transição em Kiev emprega força aérea contra "ocupações pacíficas" e que o "ataque de retaliação" de Kiev destrói a "última esperança" de implementação do acordo de Genebra.

O governo russo pediu que a Organização para a Segurança e Cooperação na Europa tome providências "para acabar com este ataque de retaliação", segundo declaração do embaixador russo para a OSCE, Andrei Kelin, citado pela agência de notícias Itar-Tass. Segundo Kelin, a Rússia fez um apelo ao secretário-geral da OSCE, Lamberto Zannier, e ao presidente suíço Didier Burkhalter, presidente da entidade.

MD/dpa/afp

Leia mais