Rússia e Turquia concordam em reavivar relações após crise diplomática | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 29.06.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Rússia e Turquia concordam em reavivar relações após crise diplomática

Em primeiro telefonema desde que a Turquia abateu um caça russo há sete meses, Erdogan e Putin concordam em se reunir pessoalmente. Presidente turco lamenta incidente, e Moscou anuncia que removerá sanções a Ancara.

Erdogan e Putin: rumo à concilicação entre Moscou e Ancara

Erdogan e Putin: rumo à concilicação entre Moscou e Ancara

Os presidentes da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, e da Rússia, Vladimir Putin, concordaram em se encontrar pessoalmente a fim de "reavivar as relações bilaterais". Nesta quarta-feira (29/06), os líderes conversaram por telefone pela primeira vez desde que a Turquia abateu um caça russo.

Em novembro de 2015, as Forças Aéreas da Turquia derrubaram um avião da Rússia próximo à fronteira com a Síria, alegando que o caça havia violado o espaço aéreo turco, o que é negado pelas russos. Desde então, as relações entre Ancara e Moscou ficaram estremecidas.

"Reiterando o compromisso em reavivar as relações bilaterais e em lutar juntos contra o terrorismo, os dois líderes concordaram em se manter em contato e se encontrar pessoalmente", diz um comunicado da presidência turca, sem precisar quando o encontro pode ocorrer.

Agências internacionais afirmam que Erdogan e Putin se reunirão em setembro durante a cúpula do G20 na China. Os dois presidentes "darão os passos necessários para cooperar frente às crises políticas, econômicas e humanitárias da região", acrescenta o texto.

Assistir ao vídeo 01:07
Ao vivo agora
01:07 min

Veja imagens do aeroporto de Istambul depois da explosão

Além disso, os líderes concordaram com um encontro entre seus respectivos ministros do Exterior durante um evento nesta semana em Sochi, na Rússia, para discutir questões como a guerra síria.

Ainda segundo agências internacionais, Putin teria também expressado, no telefonema com o colega turco, suas condolências a Erdogan e ao povo de seu país pelo ataque terrorista que deixou 41 mortos e centenas de feridos no aeroporto Atatürk, em Istambul, na noite desta terça-feira.

Fim das sanções

A conversa telefônica, na manhã desta quarta-feira, aconteceu depois de Erdogan ter escrito uma carta a Putin, no início da semana, expressando pesar sobre o incidente envolvendo o caça russo, que foi classificado por Moscou como "uma punhalada traiçoeira nas costas".

As autoridades turcas também revelaram que irão processar o cidadão turco acusado de matar o russo que pilotava o caça abatido, após este ter saltado do avião de paraquedas. A Rússia já havia exigido um pedido de desculpas formal pelo ocorrido, o que só ocorreu nesta semana.

A tensão diplomática levou Moscou a impor sanções a Ancara, como impedir que cidadãos russos viajem ao país, o que afetou gravemente o setor do turismo, vital para a economia turca. Nesta quarta-feira, Putin anunciou que removeria essas restrições de viagem à Turquia.

"Eu peço para que o governo russo dê início ao processo de normalizar os laços econômicos e comerciais com a Turquia", revelou o presidente da Rússia após a conversa telefônica.

EK/dw/afp/efe

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados