1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Rússia confirma ataque aéreo em Palmira

Observatório Sírio dos Direitos Humanos afirma que bombardeios atingiram cidade histórica, na Síria. Tomada pelo "Estado Islâmico" em maio, Palmira é alvo de campanha de saques e destruição dos jihadistas.

default

Caças russos bombardearam mais de 230 alvos do EI na Síria em dois dias

O Ministério da Defesa da Rússia confirmou nesta segunda-feira (02/11) que realizou ataque aéreos contra alvos do grupo extremista "Estado Islâmico" (EI) na cidade histórica de Palmira, na Síria.

"Como resultado do ataque direito, uma fortificação, um bunker e uma artilharia antiaérea foram destruídos", afirmaram as autoridades russas de defesa, acrescentando que mais de 230 alvos do EI foram atingidos por bombardeios russos na Síria nos últimos dias.

Um ativista afirmou que o bombardeio atingiu uma região perto de um castelo histórico com vista para as ruínas romanas. Ele disse à agência de notícias Associated Press que era difícil avaliar os danos devido à continuidade dos ataques.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos confirmou os ataques russos em Palmira, além de afirmar que os ataques atingiram a cidade histórica.

Com suas colunas imponentes, ruas amplas e ruínas gigantescas, a cidade-oásis de Palmira, na Síria, é um dos mais famosos testemunhos da arte arquitetônica romana. Antes do início do conflito, ela era a principal atração turística do país.

Desde maio, quando assumiram o controle da cidade, os jihadistas destruíram inúmeros tesouros arqueológicos, incluindo o Templo de Bel e o Arco do Triunfo. Palmira foi tombada pela Unesco como Patrimônio da Humanidade.

Ataques em outras cidades

De acordo com o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, pelo menos 10 pessoas morreram e várias ficaram feridas em um bombardeio russo em Qaryatain, um reduto do EI na província de Homs. Em Aleppo, um campo de treinamento para combatentes estrangeiros também foi alvo de ataques.

Moscou, aliado presidente sírio, Bashar al-Assad, iniciou os ataques aéreos contra jihadistas no final de setembro. Os bombardeios russos são alvos constante de críticas, que acusam o país de estar atacando não somente os extremistas, mas também a oposição moderada.

CN/afp/ap

Leia mais