Rússia anuncia pausa humanitária em Aleppo | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 17.10.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Rússia anuncia pausa humanitária em Aleppo

Moscou e Damasco irão interromper ataques por oito horas para permitir evacuação de civis, feridos e combatentes de região controlada por rebeldes. Para Estados Unidos e ONU, pausa humanitária deve ser mais longa.

Destruição em Aleppo

Aleppo é alvo de bombardeios há um mês

O Ministério russo da Defesa anunciou nesta segunda-feira (17/10) uma pausa humanitária de oito horas nos ataques a rebeldes na cidade síria de Aleppo. O cessar-fogo temporário valerá para os bombardeios conduzidos por Moscou e para as tropas do governo da Síria.

"Em 20 de outubro, das 8h até as 16h, na zona de Aleppo será declarada uma pausa humanitária", disse o general russo Sergei Rudskoi à imprensa local. O militar afirmou que o objetivo da ação é permitir "a passagem livre dos civis e a evacuação dos doentes e feridos, e também a saída dos combatentes" da parte leste da cidade, controlada pela oposição ao regime sírio.

Assistir ao vídeo 01:10
Ao vivo agora
01:10 min

Imagens de drones mostram Aleppo em ruínas

Para a saída dos civis, aos quais o Exército russo garante "a total segurança, atendimento médico" e estadia em refúgios temporários, serão habilitados seis corredores, e para os combatentes, outros dois.

"O primeiro passa pela estrada de Castello, enquanto o outro atravessa o sul da cidade. Por ditos corredores, os combatentes podem ir para a zona de Idlib", acrescentou Rudskoi.

A Rússia decidiu anunciar a pausa humanitária depois das consultas no Conselho de Segurança das Nações Unidas sobre a saída do grupo Frente al Nusra de Aleppo, proposta pelo enviado da ONU  para a Síria, Staffan de Mistura.

Rudskoi também afirmou que o Frente al Nusra reforçou seus ataques contra as zonas residenciais da cidade, onde os civis que tentam deixar a região são fuzilados em execuções públicas sumárias.

Pouco tempo

As Nações Unidas, apesar de pediram um cessar-fogo humanitário de 48 horas, saudaram a iniciativa russa. "Qualquer diminuição da violência, dos confrontos, qualquer pausa que seja implementada é bem recebida", afirmou o porta-voz da ONU, Stephane Dujarric. "Claro que há a necessidade de uma pausa mais longa para podermos levar os comboios de ajuda humanitária", acrescentou.

Já o Departamento de Estado americano afirmou que o cessar-fogo humanitário anunciada, além de ser muito curto, é tardio. "Se o plano visa uma pausa de oito horas no sofrimento incessante da população de Aleppo, é um pouco tarde para isso", disse o porta-voz Mark Toner.

Desde a quebra do cessar-fogo humanitário, acordado internacionalmente, no mês passado, a Rússia e as forças do presidente Bashar al-Assad estão bombardeando intensamente regiões controladas por rebeldes em Aleppo.

Os Estados Unidos e alguns países europeus acusaram Moscou e Damasco de cometer atrocidades e crimes de guerra. A Rússia nega as acusações e afirma que o Ocidente está sendo cúmplice de terroristas.

CN/efe/rtr/afp

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados