Rússia ″adota″ ator francês Gérard Depardieu | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 03.01.2013
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Rússia "adota" ator francês Gérard Depardieu

Presidente russo Vladimir Putin concedeu naturalização "devido à contribuição de Depardieu ao cinema russo". O ator causa polêmica em seu país por se recusar a pagar imposto de renda de 75% destinado aos milionários.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, assinou nesta quinta-feira (03/01) em Moscou, um decreto que concede ao ator francês Gérard Depardieu a cidadania russa. Segundo nota emitida pelo Kremlin, Depardieu já havia solicitado a naturalização e esta foi emitida em conformidade com o artigo 89 da Constituição da Rússia.

A decisão sai semanas após Depardieu ter ameaçado deixar a França, já que o atual governo socialista do país quer estabelecer imposto de renda de 75% para quem ganha mais de um milhão de euros por ano. O Tribunal Constitucional da França vetou o projeto alegando inconstitucionalidade, porém o governo liderado por François Hollande pretende rever o projeto, que foi o carro-chefe da campanha presidencial.

Gerard Depardieu als Obelix

Gerard Depardieu interpretando a figura cômica Obelix

Obelix foge da França

O litígio do ícone do cinema com o governo francês teve início no começo de dezembro. Depardieu, conhecido pelas interpretações da figura cômica Obelix e recentemente do místico russo Grigori Rasputin, comprou uma casa na cidade belga Néchin, refúgio de diversos franceses ricos que querem fugir dos impostos na França.

O primeiro ministro Jean-Marc Ayrault descreveu a transferência de residência do ator como "extremamente lastimável", ao que Depardieu respondeu anunciando abdicar da sua cidadania francesa. De acordo com o Código Civil da França, a abdicação da cidadania só é possível quando o cidadão receber a naturalização de outro país.

Putin deu o primeiro passo, e agora Depardieu – que também é um empreendedor bem-sucedido, dono de diversos vinhedos, restaurantes e tem ao todo 80 empregados em sua folha de pagamentos – pode decidir se vai correr o risco de pagar 75% de imposto de renda na França ou 13% na Rússia.

PV/afp/lusa/dpa
Revisão: Francis França

Leia mais