Rússia acusa Turquia de ser maior fornecedor de armas do EI | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 02.04.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Rússia acusa Turquia de ser maior fornecedor de armas do EI

Embaixador russo nas Nações Unidas diz que envio de armamento ao "Estado Islâmico" é feito por meio de três organizações humanitárias turcas. Turquia nega acusação.

Combatentes do Estado Islâmico na Síria

Combatentes do "Estado Islâmico" na Síria

A Rússia acusou três organizações da Turquia de fornecer armas e equipamentos militares para o grupo extremista "Estado Islâmico" (EI) na Síria. A denúncia foi feita pelo embaixador russo nas Nações Unidas, Vitaly Churkin, em carta ao Conselho de Segurança.

"O principal fornecedor de armas e equipamentos militares para combatentes do EI é a Turquia, que faz isso por intermédio de organizações não governamentais", afirma Churkin na carta datada de 18 de março.

As três organizações citadas pelo embaixador são as fundações Besar e Iyilikder e a Fundação para as Liberdades e os Direitos Humanos (IHH, na sigla em turco). Elas teriam enviado comboios com "vários suprimentos" aos grupos armados.

Assistir ao vídeo 01:09
Ao vivo agora
01:09 min

Comida e medicamentos chegam a Madaya

Ainda segundo a carta, as remessas são supervisionadas pela própria Organização Nacional de Inteligência da Turquia e são transportadas principalmente por veículos que cruzam as fronteiras "como parte de comboios humanitários".

Churkin também citou duas empresas turcas – Tevhid Bilisim Merkezi e Trend Limited Sirketi, ambas com sede em Sanliurfa –, que estariam fornecendo componentes químicos e detonadores aos combatentes extremistas sírios.

Segundo o embaixador, cerca de 1,9 milhão de dólares em explosivos e produtos químicos já passaram pela fronteira turca em direção à Síria, principalmente através do rio Eufrates.

A Missão Permanente da Turquia na ONU negou com veemência as acusações. Em declarações à agência de notícias Associated Press, a missão afirmou que a carta "obviamente contém alegações infundadas" e lembrou que muitos cidadãos turcos morreram em ataques do EI.

Essa não é a primeira vez que a Rússia acusa a Turquia de apoiar grupos extremistas na Síria. Moscou luta ao lado de Damasco na guerra civil que assola o país árabe há cinco anos. As denúncias se intensificaram depois que Ancara abateu um caça russo, em novembro do ano passado.

EK/afp/ap

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados